Esta pode ser a única escultura de Leonardo Da Vinci

Até aqui atribuída a outro artista, a escultura "A Virgem com o Menino que Ri" pertence ao mestre da Renascença, diz o especialista Francesco Caglioti.

A Virgem com o Menino que Ri poderá ser a única escultura de Leonardo Da Vinci que sobreviveu até aos nossos tempos, afirmam os curadores da exposição Verrocchio: Il Maestro di Leonardo , que está patente no Palazzo Strozzi, em Florença, Itália, no âmbito das comemorações dos 500 anos anos da morte de Da Vinci (1452-1519). Na exposição, que pode ser visitada até 14 de julho, a escultura de 50 centímetros é atribuída a Da Vinci e datada de 1472, quando ele tinha 19 ou 20 anos e ainda era aluno do artista florentino Andrea del Verrochio (1435-88).

A obra pertence ao Museu Victoria & Albert, em Londres, que a adquiriu em 1858, e até aqui pensava-se que a escultura era de outro artista, Antonio Rosselino, tal como foi definido pelo historiador do British Museum John Pope- Henessy.

Mas o académico italiano Francesco Caglioti tem uma opinião diferente. O professor da Universidade de Nápoles é um dos maiores especialistas na Renascença, especialmente em escultura do século XV. Para afirmar que a obra pertence a Da Vinci baseia-se em dois aspetos fundamentais. Por um lado, os drapeados volumosos e complicados sobre as pernas da Virgem que são muito semelhantes aos drapeados que Leonardo desenhava naquela altura. E, depois, o rosto e a pose realista do Menino Jesus que quase parece vivo - algo que também podemos encontrar nos desenhos do artista. Além disso, retratar Cristo a sorrir no século XV não era apenas algo raro como era praticamente uma blasfémia.

Como se isso não bastasse, Caglioti encontra no modo como a Virgem olha embevecida para o Menino aquele sorriso enigmático que encontramos, mais tarde, na mais conhecida obra de Da Vinci, Mona Lisa.

A hipótese de esta escultura ser de Leonardo Da Vinci foi pela primeira vez levantada em 1899 mas, desde então, nunca ninguém tinha analisado a obra com tanto rigor quanto Caglioti.

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.