ERC valida mudanças na direção de informação da RTP

Parecer favorável dado após explicações dadas pela empresa pública sobre a destituição de dois ex-diretores adjuntos.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) deu parecer favorável aos nomes de Helena Garrido, Cândida Pinto e Hugo Gilberto como novos diretores adjuntos de informação da RTP.

A decisão, tomada terça-feira, deu como satisfatórias as explicações pedidas à empresa pública "quanto às exatas motivações subjacentes" à destituição dos jornalistas Vítor Gonçalves e João Ramos como diretores adjuntos.

Helena Garrido, Cândida Pinto e Hugo Gilberto (o único que já pertencia aos quadros da RTP) foram escolhidos pela nova diretora de informação da RTP, Maria Flor Pedroso, que optou por manter em funções o terceiro diretor adjunto do seu antecessor, António José Teixeira.

Contudo, três dos cinco membros do Conselho Regulador - Sebastião Póvoas (presidente), Mário Mesquita e Fátima Resende - entregaram uma declaração de voto.

Sebastião Póvoas disse estranhar que a empresa tenha pedido a exoneração de dois diretores adjuntos a quem há apenas três meses tinha reconhecido perfil e idoneidade para o cargo e assumiu que votaria contra as exonerações em causa com base em "fundamentação estritamente jurídica". Mas "não me repugna aceitar" os nomes escolhidos por Maria Flor Pedroso.

Mário Mesquita, vice-presidente da ERC, votou favoravelmente os novos nomes "por motivos que se ligam apenas à possibilidade concedida" à nova diretora de informação "para formar a sua equipa".

A vogal Fátima Resende explicou ter votado a favor da destituição de Vítor Gonçalves e João Ramos porque aceitou o argumento da empresa de que os sucessores iriam criar uma equipa "mais 'coesa e fluída'". Porém, disse estranhar que a RTP tenha encontrado capacidade financeira para assumir os encargos inerentes às novas contratações quando parecia não existir no tempo da anterior direção de informação.

Ler mais

Exclusivos