Elas não são nada invisíveis: mulheres que são estrelas aos 50 anos

O escritor francês argumentou que é impossível amar mulheres com mais de meio século. "O corpo de uma mulher de 50 anos não é de todo extraordinário", defendeu. Há provas irrefutáveis que o desmentem

Emmanuelle fez 55 anos no verão, Juliette tem 54, Monica também, Sophie já fez 52 e Carla 51, como Sandrine. A lista podia ser alargada a duas Isabelle, uma de 65, outra de 63 anos, a Carole, de 61, ou a Catherine, 75.

Para o francês Yann Moix, escritor e realizador ocasional, é impossível amar estas mulheres porque têm mais de 50 anos: "Elas são invisíveis. Eu prefiro os corpos de mulheres mais jovens. É tudo. Um corpo de uma mulher de 25 anos é extraordinário. O corpo de uma mulher de 50 anos não é de todo extraordinário."

"Elas são invisíveis. Eu prefiro os corpos de mulheres mais jovens. É tudo."

Segundo Yann, ele próprio com 50 anos, é impossível amar mulheres como as atrizes Emmanuelle Béart, Juliette Binoche, Monica Bellucci, Sophie Marceu, Carla Bruni, Sandrine Bonnaire, Isabelle Huppert, Isabelle Adjani, Carole Bouquet ou Catherine Deneuve. E escolhemos apenas atrizes que podemos ver com regularidade em filmes produzidos em França (Monica é italiana, esteve casada com o francês Vincent Cassel; Carla é italo-francesa, as outras são todas de nacionalidade francesa).

O leque podia ser alargado a Hollywood, para continuar no cinema, que é um meio onde Yann também se movimenta: Halle Berry já fez 52 anos, como Robin Wright, que todos conhecem de House of Cards, e Salma Hayek, a mexicana de Frida; Julia Roberts festejou em outubro 51 anos, como Nicole Kidman; ou Cindy Crawford, a supermodelo hoje atriz, que no próximo mês festeja 53, a mesma idade de Diane Lane, que fará 54 em 22 janeiro, e da atriz chinesa Gong Li, revelada em Judou e consagrada com Adeus, Minha Concubina. E a lista podia continuar.

Donde se conclui, por este breve elenco, que podemos contestar com facilidade Yann Moix: elas não são nada invisíveis. E aqui temos provas irrefutáveis (e as fotos são de filmes ou produções recentes).

Ler mais

Exclusivos

Premium

violência

Como foi possível uma tragédia destas no Sri Lanka?

Destino turístico de eleição para muitos europeus nos últimos tempos, o Sri Lanka tem um longo historial de violência e de episódios de sectarismo religioso. Mesmo assim atentado de domingo surpreendeu tudo e todos. Governo desta ilha do Índico, que está demitido pelo presidente desde outubro de 2018, acusou o grupo National Thowheed Jamath, diz que terá havido apoio externo e que alertas foram ignorados