Atriz Graça Lobo internada em instituição da Santa Casa

Filha da atriz fez apelo nas redes sociais para internarem a mãe. Santa Casa da Misericórdia de Cascais foi a solução

A atriz Graça Lobo foi reencaminhada para uma instituição da Santa Casa da Misericórdia em Cascais, após ter estado internada, durante cerca de três dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Após a alta hospitalar da consagrada atriz, de 79 anos, e perante a falta de resposta da filha - que segundo a unidade hospitalar se mantém incontactável, "há mais de 24 horas" - esta foi a solução encontrada para o seu internamento.

Segundo um comunicado do hospital, a atriz que foi admitida às 22.18 de terça-feira, tem agora uma "situação clínica estável, não se justificando prolongar-se a sua permanência hospitalar". A unidade tentou contactar a filha - que, sabe o DN, a levou às urgências naquela noite -, para que viesse buscar a atriz, mas não conseguiu.

A filha da atriz, Sarah Anahory, partilhara hora antes apelos no Facebook para que a mãe fosse internada, já que esta precisava, na sua opinião, de cuidados médicos permanentes.

Numa longa publicação em que se queixa de ter ido várias vezes ao hospital de Torres Vedras, sem que Graça Lobo fosse internada, Sarah Anahory pede ajuda para que a mãe receba o tratamento que precisa. Explica ainda que a atriz de 79 anos tem um "gravíssimo enfisema pulmonar".

No texto, Sarah Anahory deixa ainda um contacto telefónico, que permanece desligado.

Amigos de Graça Lobo, como o cineasta Lauro António têm partilhado notícias sobre o estado de saúde da atriz. Também o apresentador Eládio Clímaco desejou as melhoras. E o ator Luís Aleluia mostrou-se revoltado com a situação em que a colega de profissão se encontra: "Por favor, amigos, quando for a minha vez não me deixem terminar assim! Falta dignidade, falta humanidade, falta moral... e dói-me!"

A atriz teve uma intensa carreira no teatro, passando pela Casa da Comédia, Teatro Experimental de Cascais ou Teatro de Todos os Tempo. Em 1979, fundou a Companhia de Teatro de Lisboa. Em 2015, esteve em cena com a peça "As três (velhas) irmãs", no Teatro Nacional Dona Maria II.

Casos sociais são cada vez mais frequentes nos hospitais

As estatísticas oficiais ainda não são concretas em relação ao número de doentes que permanecem nos hospitais porque não têm resposta nas instituições ou familiares que os possam acolher. Em outubro do ano passado (os números mais recentes), em 34 dos 43 hospitais do país, estavam internadas 655 pessoas que tinham alta médica, mas não tinha uma resposta social. Com RSF

Notícia atualizada às 18:50 com informação do internamento da atriz na Santa Casa da Misericórdia de Cascais

Ler mais