Exclusivo Hélio Morais finalmente em nome próprio

O músico dos Paus e dos Linda Martini edita nesta sexta-feira o primeiro trabalho a solo, Murais, o alter ego criado para se dissociar destas bandas, através de uma sonoridade mais pop e eletrónica.

Previsto para abril de 2020, passou para setembro, mas só agora, um ano depois, se pode ouvir o surpreendente universo sonoro de Murais, o nome com o qual Hélio Morais se estreia agora a solo. É aliás uma imagem pouco usual, esta de imaginar Hélio Morais sentado a um piano, a cantar. Afinal, é toda uma carreira, iniciada nos If Lucy Fell, mas especialmente alicerçada e consolidada nos Linda Martini e nos Paus, a vê-lo como um verdadeiro guerreiro do rock, sempre atrás da bateria, pelo que o ambiente de pop eletrónica e low-fi deste Murais não deixa de ser uma (agradável) surpresa.

A principal razão para os sucessivos adiamentos, como facilmente se adivinha, foi a maldita pandemia, como explicou em conversa ao DN: "Pesou especialmente o facto de não poder apresentar o álbum ao vivo, mas cheguei a um ponto em que, se deixo passar muito mais tempo, corro o risco de começar a ter uma relação amarga com as músicas, porque lançar um disco deve ser um momento de libertação ou de alegria e neste momento já ando atrás dessa sensação há um ano." O objetivo deste trabalho era criar um espaço novo - "só meu" - , que não tivesse nada que ver com Paus ou Linda Martini, mas depois de o ter conseguido, esse momento passou e agora é tempo de seguir em frente. "Aproveitei este ano para fazer outras coisas e nenhum dos temas novos já caberia neste disco", sublinha. O que não significa que já não se reconheça no álbum, bem pelo contrário. "Fez sentido nessa altura e não o faria de forma diferente, mas como consegui encontrar o meu espaço entre essas duas realidades, hoje isso é uma questão que já não me preocupa tanto".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG