Feira do Livro de Lisboa regressa ao Parque Eduardo VII com um novo conceito

A edição (entre 25 de agosto e 11 de setembro) deste ano foca-se na sustentabilidade dos expositores e stands, e na promoção da utilização de transportes públicos.

A 92.ª edição da Feira do Livro de Lisboa regressa ao Parque Eduardo VII de 25 agosto a 11 de setembro. Trata-se da maior edição de sempre que conta com 340 pavilhões para 140 participantes.

O novo conceito da feira reflete-se em novos expositores construídos com recurso a materiais sustentáveis, assegurando também a acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida, espelhando o compromisso da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) com a sustentabilidade e o ambiente.

A sustentabilidade é a palavra-chave desta edição e a preocupação reflete-se não só nos materiais usados, como no transporte para a feira. "Todos os equipamentos são feitos com materiais 100% recicláveis, desde os expositores, o auditório principal e as praças onde os autores estarão a dar autógrafos", explica o presidente da APEL. "Fizemos uma pareceria com a EMEL, para ter como transporte oficial da feira a plataforma de bicicletas GIRA", dando continuidade à promoção da utilização de transportes públicos, como meio para a deslocação até ao evento.

Depois dos anos de 2020 e 2021, a organização espera que a adesão seja igual ou superior aos anos pré-pandemia. "Trata-se da primeira feira após 2019, sem qualquer tipo de restrições e a adesão de editores e livreiros superou as nossas expectativas", afirma Pedro Sobral.

Mais do que um espaço para compra de livros, trata-se também de um espaço de lazer e convívio, englobado numa extensa programação cultural com autores nacionais, e internacionais.

A Ucrânia é o país de honra convidado, tendo um stand gratuito dedicado ao país. "O convite foi imediatamente aceite pela embaixadora da Ucrânia, na altura, e estamos a trabalhar com o estado da embaixada e com a Federação de Editores ucraniano para perceber como podemos potenciar não só a literatura ucraniana como os autores ucranianos", referiu o presidente da APEL.

Pelo terceiro ano consecutivo, o evento vai realizar-se em datas diferentes das que habituou os portugueses. "Esta será a última edição a acontecer fora do calendário habitual, retomando em 2023 as datas de sempre da Feira, ou seja, no pré-verão. Mas, ao contrário das duas anteriores edições, este ano, a escolha das datas deveu-se aos desafios que a produção dos novos equipamentos trouxe, mas cujo resultado final será benéfico para todos", explica Pedro Sobral.

A renovada Feira do Livro oferece aos visitantes a possibilidade de assistir a diversas apresentações, debates, lançamentos, mesas-redondas, entregas de prémios, sessões de autógrafos e celebrações em geral centradas no livro.

A feira do livro regressa, assim, ao Parque Eduardo VII de 25 agosto a 11 de setembro.

andreia.lopes@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG