Escultura de Koons bate preço recorde para trabalho de artista vivo

Peça foi vendida por 81 milhões de euros, um novo recorde absoluto, que bate os 80,7 milhões da venda do quadro de David Hockney "Portrait of an Artist (Pool with Two Figures)" em novembro passado

A escultura Rabbit de Jeff Koons foi vendida esta quarta-feira por 91 milhões de dólares (81 milhões de euros) num leilão da Christie's em Nova Iorque, um novo recorde absoluto no valor pago por um trabalho de um artista vivo.

Em aço inoxidável, e com pouco menos de um metro de altura, a peça do norte-americano, criada em 1986, é considerada um dos ícones da arte do século XX, com as suas típicas linhas redondas, formas bulbosas e superfícies metálicas brilhantes.

A verba paga pela escultura do artista americano, nascido em 1951, supera o preço histórico alcançado há apenas seis meses pela pintura do britânico David Hockney Portrait of an Artist (Pool with Two Figures), que foi vendida por 90,3 milhões de dólares (80,7 milhões de euros) em novembro.

Há apenas quatro esculturas de Rabbit, feitas em aço inoxidável, mas esta é a única que ainda permanece em mãos privadas, uma vez que as restantes pertencem a museus de Los Angeles, Chicago, nos Estados Unidos, e do Qatar.

A Christie's tinha estimado inicialmente que a icónica peça de Jeff Koons poderia render entre 50 e 70 milhões de dólares, mas o valor final superou largamente as expectativas.

Instalado em Nova Iorque desde 1977, Jeff Koons tornou-se famoso a partir da década de 1980 com as suas peças na linha da arte pop, com as quais pretendeu explorar o sentido profundo da arte, numa época marcada pela saturação das imagens. O seu trabalho rapidamente ganhou adeptos e as suas peças de formas começaram a vender-se por preços altos. A tendência ficou e Jeff Koons detém agora também o recorde da peça mais cara de sempre de um artista vivo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG