ERC chumba nova direção de informação da RTP

A Entidade Reguladora da Comunicação Social dá parecer negativo à acumulação dos cargos de diretor de programas e diretor de informação.

"O Conselho Regulador da ERC, reunido a 23 de dezembro de 2019, deliberou dar parecer negativo à proposta de acumulação dos cargos de Diretor de Programas da RTP1, RTP Internacional e RTP3 com os cargos de Diretor de Informação da RTP1, RTP Internacional e RTP3, ficando prejudicada qualquer outra apreciação das nomeações apresentadas até ao envio de novo pedido de parecer", conclui o parecer da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) pedido pelo Conselho de Administração da RTP.

A ERC deliberou que a acumulação dos cargos de diretor de informação da RTP1, RTP Internacional e RTP3 com os de diretor de programas dos mesmos canais corre o risco de padronizar a oferta, favorecimento do primeiro canal e porque "a envergadura da tarefa de dar cumprimento cabal a todas as obrigações que impendem legal e contratualmente sobre cada um dos serviços de programas em causa afigura-se francamente incompatível com aquela centralização", lê-se no parecer tornado público hoje.

A nova direção, liderada por José Fragoso, foi conhecida na quinta-feira e inclui ainda Adília Godinho, Carlos Daniel e António José Teixeira, que transitava da anterior direção com os subdiretores Hugo Gilberto, Joana Garcia e Rui Romano. Cândida Pinto e Helena Garrido não foram reconduzidas.

A nova composição da direção aconteceu após a demissão de Maria Flor Pedroso. A jornalista da Antena 1 pôs o cargo à disposição na manhã antes do conselho de redação ter considerado que existiram falhas deontológicas na forma como a diretora de informação atuou enquanto uma reportagem sobre o ISCEM estava a ser produzida para o programa Sexta às 9, coordenado pela jornalista Sandra Felgueiras.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG