Em lágrimas, R. Kelly nega abusos sexuais em entrevista

Na primeira entrevista televisiva desde que pagou uma fiança de 100 mil dólares em Chicago, o cantor insistiu no programa CBS This Morning que não era culpado de 10 acusações de abuso sexual agravado.

Visivelmente emocionado, o cantor norte-americano R. Kelly negou esta terça-feira em entrevista ao programa CBS This Morning ser culpado de dez acusações de abuso sexual agravado contra quatro mulheres, incluindo três que eram menores à data em que a acusação alega que os abusos terão ocorrido: pelo menos desde 1998.

O artista classifica as alegações como "estúpidas", "não verdadeiras" e "injustas". "Eu não fiz isso, não sou eu, estou a lutar pela minha vida", afirmou, com a voz embargada.

Esta entrevista surge menos de duas semanas depois de R. Kelly ter sido libertado sob fiança de 100 mil dólares (cerca de 88 mil euros) de uma prisão de Chicago.

R. Kelly, 52 anos, que foi absolvido em 2008 num caso em que era também acusado de pornografia infantil, tem negado as acusações e o seu advogado afirma-se confiante de que o cantor será considerado inocente. O caso voltou a ser noticiado em janeiro depois de as autoridades terem investigado novas suspeitas de crime, na sequência de uma série documental exibida no canal televisivo Lifetime.

A procuradora Kim Foxx, do condado de Cook (Chicago), chegou a pedir publicamente que as alegadas vítimas denunciassem formalmente o músico para facilitar as investigações.

Músico premiado com três Grammy, R. Kelly começou a carreira na década de 1990 com o álbum a solo "12 Play" e escreveu temas para artistas como Lady Gaga, Celine Dion e Michael Jackson. I believe I can fly é um dos temas de sucesso do músico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG