Coura desce ao PortoPostdoc

O festival dos filmes com fronteira do real mostra em estreia mundial Escola do Rock, sobre uma escola para se aprender rock n' roll em Paredes Coura. O PortoPostDoc tem ainda muito para mostrar.

Termina este domingo o PortoPostDoc, o festival que transforma o Porto em património do cinema. Os prémios das diversas competições são atribuídos este sábado na sessão de encerramento, no Rivoli, mas há muito ainda para ver, como é por exemplo o caso de Escola do Rock (Rivoli, domingo às 16h) de Amadeu Pena da Silva, uma média-metragem produzida pelo próprio festival que visa descrever as vibrações que passam na já mítica semana de aulas de rock n' roll que Paredes de Coura oferece aos jovens. Amadeu Pena da Silva, o realizador e membro da equipa PortoPostDoc, conta que o objetivo foi documentar o processo de trabalho da escola de Paredes de Coura: "não quis o registo da pura reportagem, mas sim captar o ambiente que se gera ali. Enfim, documentar aquela vivência através de um registo observacional onde a câmara esteve sempre presente, desde os ensaios dos alunos aos momentos mais relaxados dos professores e dos participantes".

Escola de Rock é a primeira produção do festival e compreende-se a escolha de um filme com raízes musicais. Em todas as edições, a música é uma das apostas na programação, sobretudo através da secção Transmission. "No PortoPostDoc gostamos da ligação com a música e desde o começo do festival que pensámos que a música no Porto é uma veículo de ligação com as pessoas. Fomos mantendo porque essas sessões são um sucesso", afirma Amadeu. Um sucesso também está a ser a retrospetiva Reis/Cordeiro. Na quinta-feira, Trás-os-Montes, o mítico filme de António Reis e Margarida Cordeiro quase esgotou o Grande Auditório do Rivoli na nova versão digital do filme. Tratou-se a experiência partilhada lindíssimo e que celebrou a obra do cinema português que mais tem influenciado cineastas em Portugal.

Em paralelo com a retrospetiva, o PortoPostDoc oferece a todos a exposição coletiva Como o Sol Como a Noite, na Faculdade das Belas Arte da Universidade do Porto. Uma exposição com obras obras de André Cepeda, Maria Capelo, Daniel Blaufuks, Otelo M.F., Catariana Real, Francisco Queimadela, Mariana Caló, João Queiroz, Joana Patrão e Rui Chafes, mas também vídeos de cineastas como Renée Nader Messora, João Salaviza ou Marta Mateus. Obras que revisitam a obra de Reis e Cordeiro, dialogando com as suas luzes, chamamentos xamãs e toda a sua ligação com o imaginário mitológico e poético do cinema espiritual e antropológico desta dupla.

Leonor Teles e o seu belo Terra Franca são também destaque no fim-de-semana, com sessão sábado às 14h30, tal como a repetição de Ainda Tenho um Sonho ou Dois - A História dos Pop Dell'Arte, o documentário televisivo da Antena 3 que teve estreia no LEFFEST (domingo no Passos Manuel, às 21h30).

O filme vencedor do festival terá repetição garantida no domingo, às 21h30 no Grande Auditorio da Culturgest.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG