Cantor cabo-verdiano Jorge Neto morreu em Lisboa

Ao longo dos mais de 30 anos de carreira, fez sucesso em vários países, junto da comunidade emigrante cabo-verdiana, na Europa, África e América.

O cantor cabo-verdiano Jorge Neto morreu esta quinta-feira, no hospital Egas Moniz, em Lisboa, disse à agência Lusa fonte da embaixada de Cabo Verde em Lisboa.

O artista cabo-verdiano, que residia em Portugal e fez a carreira na Europa, sobretudo junto das comunidades cabo-verdianas, sofreu um AVC, em casa, no dia 30 de dezembro e estava desde então internado, "em coma profundo", segundo comunicado da embaixada em Lisboa emitido na altura.

Jorge Neto nasceu em São Tomé e Príncipe em 1964, sendo filho de mãe cabo-verdiana. Estudou em Portugal e emigrou depois para a Holanda, país com forte presença da comunidade cabo-verdiana e onde fez sucesso na música, enquanto vocalista da banda Livity.

Depois de 11 anos sem gravar um disco, Jorge Neto lançou em 2016 Nha Palco, o seu nono álbum.

Ao longo dos mais de 30 anos de carreira, fez sucesso em vários países, junto da comunidade emigrante cabo-verdiana, na Europa, África e América.

"A notícia da morte de Jorge Neto deixa-me, rigorosamente, muito triste. Um dos grandes, verdadeiramente. Um artista, no pleno sentido da palavra", escreveu Jorge Carlos Fonseca, numa mensagem publicada na rede social Facebook.

O chefe de Estado recordou que teve o privilégio de contar com a amizade do cantor, "num relacionamento forte e cúmplice", que terá nascido na Assomada, no ano de 1996.

"Felizmente que ficam a voz ritmada, a arte ímpar de estar no palco, a singularidade dos rituais e da postura no estar com os outros", prosseguiu o Presidente na sua mensagem, onde também manifesta o seu "sentimentos de pesar e de conforto aos familiares, mas também aos amigos e aos admiradores de Neto".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG