Bono conta o seu encontro com a morte: "Quase deixei de ser"

O músico irlandês de 58 anos admite que cada vez está mais consciente dos avisos que o corpo lhe dá.

"Quase deixei de ser." Foi assim que o o vocalista dos U2, Bono, descreveu o seu "confronto com a mortalidade" em 2016.

"Foi muito grave", contou o músico de 58 anos numa entrevista ao The Sunday Times. "Agora estou bem mas por pouco não estava. Recebi vários avisos." E continuou: "Houve vários sussurros no meu ouvido a que talvez devesse ter dado importância. O Edge diz que eu olho para o meu corpo como um inconveniente e eu concordo. Gosto mesmo de estar vivo e sou muito bom nisso, ou seja, gosto de aproveitar o melhor de qualquer dia. Foi a primeira vez que tentei empurrar a porta só com o ombro e não consegui abri-la."

"Senti que Deus estava a sussurrar-me: da próxima vez tenta bater à porta ou apenas usar a maçaneta. Não uses o teu ombro porque podes parti-lo", concluiu Bono.

O músico referiu-se a este incidente no texto que acompanhou o disco Songs of Experience, editado em 2017, explicando que esse trabalho tinha sido bastante influenciado pela experiência de proximidade com a morte. A certo momento, no tema The Lights of Home, canta: "I shouldn't be here, cause I should be dead" (não deveria estar aqui/ deveria estar morto). Porém nunca revelou o que aconteceu exatamente.

Recentemente, Bono viu-se forçado a interromper um concerto em Berlim por ter perdido a voz, mas retomou a digressão poucos dias depois.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG