Assassino de Nipsey Hussle foi identificado. Autoridades pedem ajuda para o encontrar

Homenagem ao cantor americano morto a tiro no domingo acabou em caos, depois das centenas de pessoas presentes considerarem que uma arma tinha sido disparada e começarem a fugir.

As autoridades americanas confirmaram esta terça-feira que Eric Holder, de 29 anos, é o suspeito principal do assassinato do rapper americano, Nipsey Hussle. O cantor estava acompanhado por quatro pessoas à porta da sua loja em Los Angeles quando foi abordado por um homem, vestido de preto que acaba por disparar sobre eles, de acordo com as imagens de câmaras de vigilância divulgadas pelos media norte americanos.

O homem foi visto pela ultima vez a fugir da loja do cantor num Chevy Cruze de 2016, acompanhado por uma mulher não identificada. As autoridades pediram em comunicado o apoio da comunidade local para localizar o suspeito.

A Homenagem que terminou em caos

Horas antes de a polícia identificar Holder como o culpado da morte do cantor, uma vigília em homenagem a Hussle terminou em caos. O que começou por ser uma iniciativa que visava celebrar a vida do cantor e a sua carreira acabou num "pânico e caos em massa" da comunidade, depois de centenas das pessoas reunidas pensarem que uma arma tinha sido disparada e atropelaram dezenas de pessoas enquanto fugiam.

Por volta das 20h00 da passada segunda-feira, as centenas de velas, balões e flores deixados em frente à loja do rapper em sua homenagem foram deitadas ao chão e destruídas. O músico DeAndre Harvey disse ao Los Angeles Times que uma discussão iniciada durante a vigília e as pessoas confundiram o barulho das garrafas e das velas a partirem-se com disparos, o que acabou por gerar a confusão. O pânico instalou-se depois de algumas pessoas começarem a gritar "Tiros!", disse o cantor.

Os Bombeiros de Los Angeles afirmam ter levado 19 pessoas ao hospital: duas em estado crítico, incluindo um ferido num acidente de carro, duas em estado grave e quinze com ferimentos ligeiros, escreve o Los Angeles Times. Meghan Aguilar confessou, durante uma conferência de imprensa, que um agente da polícia estava entre os feridos, noticia a CNN.

O chefe da polícia de Los Angeles, Michel Moore escreveu na sua conta de Twitter que o relatório informal e inicial dos bombeiros de Los Angeles identificou doze feridos assistidos no local e um transportado. "Não existe nenhuma certeza sobre a natureza das lesões" e muitos dos feridos tratados no local estavam com os tornozelos torcidos. Moore disse que as alegações de tiros disparados durante a vigília não eram reais e a CNN confirmou que nenhuma das vitimas tratadas apresentavam ferimentos de bala.

Os cacos das velas e dos vasos das flores, destruídos pela confusão, feriram várias pessoas. Ainda não é claro se alguém foi realmente esfaqueado ou apenas ferido com o vidro dos objetos deixados na vigília. O USA Today afirma que a confusão originou um esfaqueamento e seis feridos por causa desconhecida alegando que a informação foi dada por um funcionário do departamento da polícia de Los Angeles, Tony Im. Um repórter do USA Today alega ter visto um homem esfaqueado no chão, junto de uma mulher que também parecia ter sido esfaqueada.

O rapper foi morto no passado dia 31. Hussle tinha 33 anos e era admirado pela sua comunidade devido às suas iniciativas para melhorar o bem-estar da população. O cantor estava envolvido em diversos projetos como a renovação de um campo de basquete numa escola primária e o aprofundamento de diversas disciplinas como matemática, ciência e tecnologias nas escolas. No ano passado abriu um espaço de co-working na região e participou num projeto ligado às artes que celebrava a cultura negra da cidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG