Arma com que Van Gogh se suicidou foi vendida por 162 mil euros

O revólver com o qual, alegadamente, o pintor impressionista holandês se matou aos 37 anos foi vendido por mais do dobro do valor estimado pela leiloeira.

As estimativas variavam entre os 40 e os 60 mil euros. Mas a arma com que Van Gogh se terá suicidado em 1890 foi vendida, esta quarta-feira, na casa de leilões Drouot, em Paris, por 162 mil euros. Embora, não se saiba nem quem a comprou, nem quem a vendeu.

O revólver Lefaucheaux de 7 mm é conhecido como "a arma mais famosa da história". E quem a disparou a 27 de julho de 1890 contra Van Gogh foi durante muito tempo a grande questão. Hoje, a maioria das suspeitas recaem sobre o próprio pintor holandês. Estaria num campo de trigo na aldeia francesa de Auvers-sur-Oise - conhecida por ter recebido muitos pintores impressionistas - quando foi baleado. Depois de um período de inconsciência, recuperou os sentidos e conseguiu deslocar-se até à hospedaria onde estava alojado. Morreu 36 horas depois.

Tanto a biografia do pintor "Van Gogh: The Life" (2011), da autoria de Steven Naifeh e de Gregory White Smith, como o filme "Van Gogh: à porta da Eternidade (2018) assumem-se contra a tese do suicídio. Segundo os autores, o pintor d`"A Noite Estrelada" e de os "Girassóis" era muito gozado na região e terá sido atingido por acidente pelo jovem de 16 anos René Secrétan, que estaria de visita à aldeia. Vang Gogh assumiria depois o disparo para proteger o adolescente. A arma não dá uma resposta. E também por isso, a leiloeira fez uma estimativa ao valor pelo qual esta seria vendida que ficou muito aquém do valor real.

Embora não seja conhecido o paradeiro anterior do revólver, suspeita-se de que este tenha estado ao cuidado do artista Régine Tagliana, filho dos proprietários da hospedaria onde Van Gogh esteve durante 70 dias naquela terra em 1890, de acordo com o jornal espanhol El Mundo. Descoberta em 1965 por um agricultor no mesmo campo onde se acredita que tenha sido ferido Van Gogh, a arma ficou desaparecida depois do acidente. Foi agora desenterrada do mesmo sitio e os resultado balísticos e a concordância temporal apontam para ter sido esta a arma que matou lentamente o pintor. Foi por isso exposta no Museu Van Gogh, em Amesterdão, até à data deste leilão.

Devido aos contornos pouco claros da investigação, admitidos mesmo pela própria leiloeira, as duvidas sobre a veracidade da história atribuída ao revólver hoje vendido são muitas. "Nada sugere que os restos [da arma] estejam formalmente ligados à morte de Van Gogh", declarou o Instituto Van Gogh num comunicado, citado pela BBC.

Vicent Van Gogh nasceu em Zundert, Holanda, a 30 de março de 1853. Mudou-se para Paris em 1886 para se juntar ao irmão mais novo, Théo, que tinha uma galeria de arte em Montmartre. Acabou por ficar a viver em França, mas foi mudando de região. Em 1888, quando vivia em Arles, Provença, na Casa Amarela, cortou a sua própria orelha. Seguiu-se um ano num asilo, antes de se mudar para Auvers, onde viria a morrer aos 37 anos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG