Elza Soares, ícone da música brasileira, morreu aos 91 anos

Cantora morreu em casa, no Rio Janeiro, devido a "causas naturais".

DN/AFP

A cantora Elza Soares, ícone da música brasileira, morreu esta quinta-feira aos 91 anos por "causas naturais" na sua casa no Rio de Janeiro, anunciou a sua assessoria de imprensa.

"É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos na sua casa no Rio de Janeiro, por causas naturais", informa o comunicado divulgado na conta do Instagram da cantora.

"Ícone da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milénio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação. A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim", pode ler-se.

Considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, Elza Soares começou a sua carreira no samba no final da década de 1950, lançou 34 discos, em que além do género mais popular da cultura brasileira, também cantou outros ritmos como jazz, hip hop, e até mesmo música eletrónica.

A carreira, tal como a vida de Elza, foi cheia de altos e baixos: lançou o primeiro álbum, Se Acaso Você Chegasse, em 1960, e teve muito sucesso, mas nos anos 80 a música não estava a resultar e chegou a pensar em desistir. Nessa altura, contou com a ajuda de Caetano Veloso que a incentivou e a convidou a gravar o tema Língua no seu álbum, Velô (1984). "Ela, que fora a estrela da poderosa gravadora Odeon nas duas décadas anteriores, trabalhava agora para gravadoras menores e não conhecia nem sombra do antigo sucesso", recordou Ruy Castro numa crónica publicada no DN. Esteve na sombra durante alguns anos. E depois renasceu.

Em 1999, Elza foi eleita pela BBC de Londres como a cantora brasileira do milénio. Em 2003, esteve nomeado para um Grammy Latino pelo trabalho Do Cóccix ao Pescoço. Quatro anos depois, emocionou-se a cantar o hino nacional à capela na abertura dos Jogos Pan-Americanos no Rio.

Em 2013, uma queda em palco levou-a ao hospital. No ano seguinte, foi operada à coluna e desde então apenas se apresenta sentada. No entanto, foi nessas condições que conseguiu alcançar o maior êxito de sempre. Em 2015, Elza Soares lançou A Mulher do Fim do Mundo, o primeiro disco só com temas inéditos e também aquele que voltou a colocá-la nos palcos principais de todo o mundo. Com este álbum, a cantora recebeu o Troféu APCA da Associação Paulista de Críticos de Arte, o Prémio da Música Brasileira e o Grammy Latino de Melhor Álbum de MPB.