Foguetão que homenageia Iuri Gagarin partiu do Cazaquistão

Os cosmonautas russos Oleg Novitsky e Pyotr Dubrov e o astronauta da NASA Mark Vande Hei partiram no foguetão Soyuz para a estação Espacial Internacional. Vão assinalar o 60º aniversário do voo histórico de Gagarin a 12 de abril de 1961.

Dois cosmonautas russos e um astronauta americano partiram esta sexta-feira para a Estação Espacial Internacional (ISS) numa missão em homenagem ao 60.º aniversário do envio do primeiro homem ao espaço, Yuri Gagarin.

O foguetão Soyuz, com Oleg Novitsky, Pyotr Dubrov e o astronauta da NASA Mark Vande Hei a bordo, descolou às 07:42 GMT (08:42 em Lisboa) do cosmódromo russo de Baikonur, no Cazaquistão. O foguetão batizado de Gagarin, que deverá chegar à ISS às 12:00, foi decorado com o perfil em branco e azul daquele em que o russo viajou, no lendário voo de 12 de abril de 1961.

"Todos os parâmetros estão dentro do padrão", observou a central de controlo, qualificando o voo como "normal".

Cerca de nove minutos após a descolagem, a separação da nave Soyuz, batizada para a ocasião pelo nome de Gagarin, ocorreu sem incidentes a uma altitude de cerca de 200 quilómetros.

Oleg Novitsky e Piotr Doubrov, da agência russa Roscosmos, e Mark Vande Hei, da NASA, partem para uma estadia de seis meses na ISS. A cápsula deve acoplar após as 11:00 GMT (10:00 em Lisboa).


Na quinta-feira, em conferência de imprensa, questionaram os três tripulantes do foguetão sobre a forma como iriam assinalar o 60º aniversário da ida do primeiro homem ao espaço. "Vamos comemorar juntos", disse Dubrov, de 43 anos, que viaja até ao espaço pela primeira vez. "E vamos trabalhar muito", acrescentou.

O russo Yuri Gagarin, de 27 anos, foi o primeiro ser humano a orbitar o Planeta Terra, a bordo do Vostock I. Todos os anos, o aniversário do voo de Gagarin é celebrado com imenso orgulho em toda a Rússia, onde são colocadas flores aos pés de muitos monumentos em sua homenagem.

Hoje, os três homens descolaram de Baikonur, como Gagarin em 1961, mas de um posto de saída diferente. O posto de descolagem de onde saiu Iuri Gagarin está a ser modificado, pelo menos até 2023, para poder acomodar a nova geração de foguetes Soyuz.

A missão de Gagarin, com duração de 108 minutos, foi uma grande vitória da URSS na corrida espacial com os Estados Unidos.

O cosmonauta foi usado pela propaganda soviética até à sua trágica morte, num acidente de avião, em 1968.

Atualizado às 11:08

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG