Trotinetes elétricas retiradas nos EUA. Lime promete vigiar baterias em todo o mundo

A startup norte-americana Lime mandou retirar milhares de trotinetes elétricas das ruas dos EUA depois de ter descoberto que algumas delas poderiam transportar baterias com perigo de explosão. A Lime Portugal diz não saber se há veículos do lote defeituoso, mas promete vigiar os veículos.

A empresa que também já trouxe as trotinetes elétricas para Portugal, mandou retirar centenas das ruas dos EUA depois de ter tido conhecimento de um defeito de fabrico em algumas delas, que poderiam resultar numa combustão lenta e, em alguns casos, até em incêndio.

Ao DN, a Lime Portugal não soube dizer se há trotinetes do lote defeituoso a circular em Lisboa e que, segundo o comunicado da empresa, foram produzidas pela Segway Ninebot, sendo que a empresa recorre a vários fabricantes. A empresa garante que irá iniciar um "programa de testes diários de diagnóstico" para todas as trotinetes em todos os mercados em que opera para monitorizar constantemente a saúde da bateria.

A Lime diz ainda que além dos modelos da Segway Ninebot, foram produzidas por outras empresas modelos mais robustos, conhecidas como "Geração 3.0" e que compõem maioritariamente a frota da empresa. O DN não conseguiu apurar se todas as trotinetes elétricas em Lisboa fazem parte desta nova geração.

Em declarações ao The Washington Post , a Lime assume que retirou cerca de duas mil trotinetes, mas garantiu que só apenas uma pequena percentagem corria aqueles riscos. Mas a empresa norte-americana detetou também mais problemas naqueles veículos elétricos, em particular de falhas nas baterias, sendo mesmo possível nesses casos que a trotinete se destrua em altas velocidade.

Em Lisboa, não há ainda informação se irá ser recolhida alguma das trotinetes que circulam por Lisboa.

Exclusivos