Justin Bieber já não é apenas um ídolo juvenil e prova-o em Lisboa

Nesta sexta-feira, Justin Bieber regressa à Meo Arena, em Lisboa, mas numa fase bem diferente daquela em que vivia quando atuou pela primeira vez em Portugal, em 2013. Eis a Purpose World Tour

Ao longo dos muitos concertos que Justin Bieber tem dado durante a digressão Purpose World Tour - que começou em março e só terminará em junho de 2017 -, a última música do alinhamento de cada noite tem sido sempre Sorry, um dos mais populares singles retirados do seu último álbum, Purpose (2015). A decisão não é certamente ingénua e não se prenderá somente com a sua popularidade. "Is it too late now to say sorry?", canta o músico de 22 anos, verso este (e respetiva canção) que são o culminar de um processo de redenção levado a cabo ao longo de 2015 e que certamente contribuiu para que hoje Justin Bieber não seja visto apenas como um fenómeno juvenil.

Purpose, o álbum que Justin Bieber vem apresentar nesta sexta--feira à Meo Arena, em Lisboa, três anos depois de ter pisado pela primeira vez aquele mesmo palco, surgiu depois de trilhado esse caminho em busca de uma espécie de perdão público pelos atos cometidos ao longo de dois anos em que o seu comportamento volátil levou a que muitos considerassem que essa rebelião adolescente poderia marcar-lhe a carreira de forma irreversível.

Este é também o disco em que o cantor quer afirmar-se como uma voz pop que vai além do mero ídolo juvenil e, como tem acontecido regularmente no mundo pop, a narrativa criada para transmitir uma maior maturidade acabou por resultar, tal como resultou há mais de dez anos com Justin Timberlake quando este escolheu abandonar o barco dos "Nsync ou neste ano com Zayn Malik quando este decidiu que já não fazia sentido ser um One Direction.

Mas antes ainda das entrevistas no talk show de Ellen DeGeneres onde pediu desculpas por alguns dos seus atos (como ter abandonado o seu macaco de estimação, Mally, num aeroporto na Alemanha, ou de ter sido filmado a urinar para um balde e a insultar Bill Clinton), antes de ter dado o corpo às balas num roast do canal norte--americano Comedy Central onde humoristas (e não só) passaram mais de uma hora a fazer as piadas mais agressivas sobre si ou antes ainda de ter protagonizado uma campanha da Calvin Klein que queria, pela exposição sexual do seu corpo, mostrar ao mundo que Justin Bieber já não era uma criança, antes de tudo isto o músico já tinha iniciado essa transição (a nível musical), mesmo que ela só tenha sido apreendida pela massa popular em 2015 com Purpose.

Entre Believe (2012), o seu segundo álbum, e Purpose passaram três anos, anos marcados essencialmente por uma série de ações que fizeram correr muita tinta na imprensa mais sensacionalista. Mas, pelo meio, Justin Bieber lançou timidamente uma coletânea intitulada Journals (2013), editada originalmente no final de 2013 apenas no iTunes e só neste ano em vinil. Journals reúne uma série de canções que Bieber foi lançando digitalmente todas as segundas-feiras entre outubro e dezembro de 2013, no centro de todas as controvérsias. Essas canções revelavam uma aproximação de Bieber às linguagens do r&b e do hip hop, distanciando-se das melodias pop açucaradas que caracterizaram as suas primeiras músicas.

Curiosamente, nos concertos desta Purpose World Tour que agora passa por Lisboa o cantor não tem esquecido uma dessas canções de Journals, nomeadamente Hold Tight.

Foi, de facto, nessa coletânea que passou a leste de tantas atenções que Justin Bieber começou a revelar que tinha intenções maiores para a sua carreira que iam além do fenómeno juvenil, mesmo que na altura essas canções tenham sido ofuscadas pelo burburinho mediático que se centrou em tudo o que o cantor fazia menos na música.

Bieber partiu desses ensinamentos das melodias r&b e trouxe um apelo à pista de dança que ficou evidenciado logo nos primeiros singles retirados de Purpose, nomeadamente Where Are Ü Now e What Do You Mean. Os fãs de sempre continuaram ao seu lado e como Bieber, afinal, já não era o adolescente de outros tempos, subitamente a sua base de admiradores cresceu exponencialmente, conquistando milhares de jovens adultos, daí que Purpose seja o seu disco mais bem-sucedido comercialmente e, ao mesmo tempo, o mais aclamado pela crítica.

É sob este estatuto que Justin Bieber regressa nesta sexta-feira à Meo Arena, concerto há muito esgotado, e, mesmo que hoje não sejam só as crianças e os adolescentes a aplaudi-lo, elas já se encontram à porta da sala de espetáculos para conseguir o melhor lugar.


JUSTIN BIEBER - PURPOSE WORLD TOUR

Primeira parte: MiC LOWRY e The Knocks

Meo Arena, Lisboa

20.00

Exclusivos