Terceira edição de "Um livro num dia" foi a mais concorrida

Durante a manhã, foram cerca de 100 os contos recebidos pela Chiado editora, promotora da iniciativa "Um livro num dia", ontem realizada no Rossio, em Lisboa.

A Chiado Editora promoveu ontem a terceira edição da iniciativa "Um livro num dia", que, segundo o seu CEO, Gonçalo Martins, "tornou-se já numa imagem de marca" da empresa. Depois da primeira edição na Avenida da Liberdade e da segunda na Praça Camões, ontem os escritórios da editora estiveram abertos durante todo o dia no Rossio, assinalando o Dia Mundial do Livro.

Ao final do dia, Gonçalo Martins afirmou ao DN que esta foi a edição "mais concorrida", sendo que ente as 9.00 e as 12.00 receberam cerca de 100 contos. Desses, os editores da Chiado, "numa escolha necessariamente subjetiva", referiu, escolheram os 50 que depois de revistos e paginados ali mesmo no Rossio, seguiram para a impressão. "Só conseguimos fazer isto porque a gráfica também é nossa", sublinhou Gonçalo Martins.

E pelas 19.00 lá estavam os mil exemplares do terceiro volume do "Um livro num dia" para serem oferecido a quem quis participar na iniciativa. E foram muitos, garante Gonçalo Martins, que mesmo durante a tarde, quando os livros estavam em impressão, visitaram os escritórios abertos da Chiado Editora, questionando os cerca de 20 funcionários sobre as diferentes fases de como se faz um livro.

Gonçalo Martins garantiu ainda que para o ano haverá nova edição. Resta saber qual será o palco lisboeta escolhido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.