Museus gratuitos e abertos durante a noite

O programa do Dia Internacional dos Museus, que se celebra hoje, e da Noite Europeia dos Museus, no sábado, vai envolver cerca de 600 atividades em 54 concelhos do país

De acordo com este organismo, os dois eventos - de entrada gratuita nos museus, palácios e monumentos tutelados, com algumas exceções - vão envolver um total de 88 espaços museológicos, com mais de 400 iniciativas previstas para o Dia dos Museus e cerca de 200 para a Noite dos Museus.

O Dia Internacional dos Museus foi criado em 1977 pelo ICOM -- Conselho Internacional de Museus - com o objetivo de promover, junto da sociedade, uma reflexão sobre o papel dos museus, e por esse motivo, a entidade lança todos os anos um tema.

Este ano, o Dia Internacional dos Museus e a Noite Europeia dos Museus celebram-se sob o mote "Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos".

A Noite dos Museus é uma iniciativa criada em 2005 pelo Ministério francês da Cultura e da Comunicação, à qual Portugal aderiu posteriormente.

Nesta ocasião, os museus portugueses organizam múltiplas atividades -- espetáculos de teatro e dança, concertos, visitas guiadas e encenadas, entre muitas outras -, convidando os visitantes a usufruírem dos seus espaços em período noturno.

Hoje, a entrada é livre no horário normal de funcionamento, exceto nos seguintes casos: no Museu Nacional de Arqueologia, onde a gratuitidade será das 10:00 às 23:00, e no Palácio Nacional de Mafra, das 09:30 às 17:30 (última entrada às 16:45), e das 20:00 às 23:00.

No sábado, a entrada é livre a partir das 18:00, exceto no Museu Nacional dos Coches, em que a gratuitidade será das 10:00 às 24:00 (com última entrada às 23:30).

Neste dia, os seguintes serviços, segundo a DGPC, estarão encerrados após o horário normal de funcionamento: o Convento de Cristo, o Mosteiro da Batalha, o Mosteiro de Alcobaça, o Mosteiro dos Jerónimos, o Museu Monográfico de Conimbriga -- Museu Nacional, o Palácio Nacional de Mafra, o Panteão Nacional e a Torre de Belém.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.