Inquérito ao Convento de Cristo será concluído em 20 dias

Ministro da Cultura anuncia ainda que a verificação de estragos contabilizou em menos de três mil euros o montante que o seguro da equipa de filmagens de Terry Gilliam irá pagar.

Luís Filipe Castro Mendes, questionado pelo deputado do PSD Duarte Marques, eleito pelo círculo de Santarém, sobre os danos provocados no Convento de Cristo, em Tomar, classificado como património da Humanidade, adiantou que, tal como o DN noticiou no domingo, "já foi aberto um inquérito que será concluído em 20 dias e cujos resultados será depois disponibilizados aos deputados".

Em causa está uma reportagem emitida no Sexta às 9, da RTP, que refere que a passagem da equipa de filmagens do realizador britânico Terry Gilliam, durante três semanas em abril, resultou em danos para o monumento nacional: pedras danificadas ou partidas, árvores cortadas pela raiz e telhas partidas.

Dizendo que não se adiantará aos resultados do inquérito, o ministro revelou, no entanto, que "não houve abate de árvores". O responsável da tutela explicou que o que existia eram "vasos com árvores" e que a decisão de os retirar, "apoiado num parecer de um arquiteto paisagista", foi anterior e independente das filmagens, tendo como objetivo a colocação de "ervas de cheiro, mais ligadas à época medieval", altura em que o monumento foi fundado.

Quanto aos danos nas pedras, o ministro da Cultura esclareceu que "ocorreram num claustro diferente daquele em que se realizou o efeito cénico [fogueira, como tem sido referido]", adiantando ainda que a deterioração da pedra é um problema antigo.

Luís Filipe Castro Mendes adiantou ainda que após uma verificação de estragos, acionada pelo seguro que a produtora Ukbar que ascendia a 2,5 milhões de euros, foi estabelecida em 2,9 mil euros a verba a pagar ao Convento de Cristo pelos estragos causados durante as três semanas de filmagens da equipa de Terry Gilliam.

Exclusivos