Festival de Cannes seleciona filmes de João Salaviza e Terry Gilliam

O filme "Chuva é cantoria na aldeia dos mortos", de João Salaviza e Renée Nader Messora, foi selecionado para o Festival de Cannes, em maio, que encerrará com "O homem que matou D. Quixote", de Terry Gilliam.

De acordo com a programação complementar hoje anunciada, o documentário de Salaviza, Chuva é cantoria na aldeia dos mortos, rodado junto de uma comunidade indígena no Brasil, integrará a secção competitiva Un Certain Regard.

Em declarações à agência Lusa, João Salaviza não escondeu a satisfação por voltar a Cannes, onde venceu a Palma de Ouro em 2009 com a curta-metragem Arena.

"É um filme feito por duas pessoas no meio do mato, sem qualquer coprodução francesa, com 80 mil euros de apoio do ICA [Instituto do Cinema e do Audiovisual], e estar a ombrear com outros filmes da competição é fantástico", disse.

Em 2015, Salaviza esteve em Veneza com Montanha. Já este ano, João Salaviza e Ricardo Alves Jr. estrearam em Berlim a curta-metragem Russa.

Realizando-se de 8 a 19 de maio, o festival de Cannes encerrará com a estreia mundial de O homem que matou D. Quixote, o projeto de vários anos de Terry Gilliam, rodado em Portugal e em Espanha.

Entre as novidades anunciadas hoje, está também o regresso a Cannes do realizador dinamarquês Lars Von Trier que irá mostrar o seu mais recente filme, The House That Jack Built, com Matt Dillon e Uma Thurman.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG