Duas bibliotecas portuguesas entre as que no mundo têm mais requinte

A CNN destaca 15 bibliotecas a partir de um livro que traça a história das mesmas.

A biblioteca joanina de Coimbra e a biblioteca do Convento de Mafra estão na lista das 15 bibliotecas de maior requinte publicada hoje no site da CNN.

A biblioteca joanina de Coimbra (assim chamada por ter sido construída, entre 1717 e 1728, com o patrocínio de D. João V) é composta por três pisos. O Piso Nobre, espaço ricamente decorado, a face mais emblemática da Casa da Livraria, onde se podem encontrar cerca de 40 mil livros. Para proteger todos estes exemplares, existem no espaço duas pequenas colónias de morcegos. O Piso Intermédio é o local de trabalho e funcionou como casa da Guarda. Finalmente, a Prisão Académica, que de 1773 até 1834 foi o local de clausura dos estudantes.

A biblioteca da universidade de Coimbra é um dos expoentes máximos do Barroco e uma das mais ricas da Europa.

Na lista da CNN está também a biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, situada no segundo piso, com chão em mármore rosa, cinzento e branco, estantes em estilo rococó e uma coleção de aproximadamente 36 mil livros, alguns deles raros, com encadernações em couro gravadas a ouro. A sala tem 88 metros de comprimento, 9,5 metros de largura e 13 metros de altura. Também aqui existem morcegos para proteger as obras literárias.

A CNN inspirou-se no livro The Library: A World History, de James W.P. Campbell e Will Pryce, que viajaram por 21 países e visitaram 85 bibliotecas, para fazer esta lista. A do mosteiro Strahov, em Praga, na República Checa, a Tripitaka Koreana, na Coreia do Sul, a Tian Yi Ge, na China, a George Peabody, em Baltimore, EUA, ou a Malatestiana, em Itália são outras das bibliotecas destacadas.

Exclusivos