Camilo era "uma garantia de divertimento"

O ator Camilo de Oliveira era "um carimbo de garantia de que as pessoas se iam divertir, rir a bom rir, gargalhar", afirmou hoje o ator Vítor de Sousa, recordando uma vida dedicada ao teatro e à comédia.

"Muitas pessoas saíam de casa sem saber o nome da peça ou da revista em que ele participava, mas como era com o Camilo de Oliveira era para divertir e isso acontece com poucas pessoas. Era um carimbo de garantia de que as pessoas se iam divertir, rir a bom rir, gargalhar e tinham no Camilo essa garantia", declarou Vítor de Sousa, reagindo à morte do ator Camilo de Oliveira.

O ator Camilo de Oliveira morreu no sábado à noite, aos 91 anos, informou à Lusa fonte da família.

Em declarações à Lusa, o ator Vítor de Sousa considerou "triste ver partir um excelente profissional, exigente, com um feitio às vezes um pouquinho difícil, a quem se deve uma vida recheada de trabalho".

"A quem devemos uma grande ovação e um grande agradecimento pela dedicação ao teatro e às pessoas que gostavam dele", declarou.

Vítor de Sousa recorda-se especialmente de ter trabalhado com Camilo de Oliveira no Sabadabadu foi um programa da RTP, que foi para o ar em 1981.

"Foi uma experiência maravilhosa, o programa teve na altura imensa audiência e foi um trabalho excelente. Recordo-me especialmente do Camilo a fazer o tão divertido padre Pimentinha, de que eu era sacristão", recordou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG