Arte Povera de Marisa Merz abre o ano em Serralves

Exposição, que tem em Serralves a sua primeira apresentação europeia, foi inaugurada ontem e estará patente até 22 de abril

O ano de 2018 abre em Serralves com uma retrospetiva de meio século sobre a obra da artista italiana Marisa Merz (n. 1926, Turim).
"O Céu é um Grande Espaço", exposição inaugurada ontem, é uma organização do Metropolitan Museum of Art, de Nova Iorque, e do Hammer Museum, de Los Angeles, e terá em Serralves a sua primeira apresentação europeia, antes de seguir para o Museu de Arte Moderna de Salzburgo.


A exposição representa uma retrospetiva de meio século de obras (1966-2016) de pintura e escultura da artista italiana, de 91 anos, que foi a única mulher representante da Arte Povera, movimento vanguardista que no final da década de 1960 rejeitou a riqueza material da Itália a favor de materiais pobres. Nela estão incluídas as primeiras experiências de Merz no contexto da Arte Povera com materiais e processos não tradicionais; as cabeças e rostos enigmáticos que criou nas décadas de 1980 e 1990; e as instalações que conciliam a intimidade com uma escala impressionante.

"A obra de Merz é desafiadora e evocativa. É profundamente pessoal, tanto uma resposta à sua própria experiência, como à história da arte e à atmosfera contemporânea de Turim e da Itália do pós-guerra", sintetizou a curadora desta exposição, Connie Butler, do Hammer Museum, que esteve em Serralves e salientou a adequação do espaço a todo o conceito: "Este museu tem a arquitetura perfeita para receber esta exposição. Há um enquadramento belíssimo do edifício com estas obras."

João Ribas, diretor adjunto do Museu de Serralves, salientou, por sua vez, o agrado de poder mostrar no Porto e em Portugal o valioso trabalho de uma artista de referência da segunda metade do século XX. "Às vezes, é nas gerações mais velhas que encontramos o verdadeiro vanguardismo", referiu, destacando originalidade da obra da artista galardoada em 2013 com um Leão d"Ouro da Bienal de Veneza pela vasta influência da sua obra em diversas gerações.

A exposição estará patente em Serralves até 22 de abril e foi desenvolvida em colaboração com a Fondazione Merz, em Turim (Itália).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG