A Lello trouxe Harry Potter para jantar

Dos sete aos 47 anos, mais de cem fãs do universo de magia jantaram em Hogwarts. A Livraria Lello recriou a escola de feitiçaria no mosteiro de Leça de Balio, com os participantes a viverem uma noite de fantasia e diversão

Por uma noite, o fantástico mundo de Hogwarts, onde a magia e fantasia da saga Harry Potter se desenrola, esteve vivo no Mosteiro de Leça de Balio. Mais de cem fãs juntaram-se no jantar de natal promo- vido pela Livraria Lello, onde o universo imaginado por J. K. Rowling saltou das páginas dos livros e dos ecrãs de cinema para a realidade, numa recriação, ao pormenor, da escola de magia. "Não há amor como o primeiro. Foi o primeiro livro que li, a minha mãe comprou mal saiu a tradução e fiquei fã", explica Ricardo, 25 anos, acompanhado pela namorada Sofia. Ele dentista e ela finalista de Medicina juntaram-se a outros potterheads para horas de convívio, rodeados de personagens e outros elementos dos livros, dando sequência a anteriores experiências. Ricardo já esteve em Londres e em Orlando, onde existe um parque temático. Sofia também tem as suas histórias de passar a noite numa fila antes de um livro sair.

Quando o grupo de fãs chegou sexta-feira a Hogwarts, no mosteiro que é monumento nacional cuja primeira construção aconteceu no século XIV, caía uma chuva miudinha, propícia a um ambiente mais misterioso. Junto ao poço, rodeado de árvores, o fumo percorria o jardim. E por lá andava o maléfico Dementor, caminhando todo de negro sobre andas. O professor Snape, personagem da escola de feitiçaria e magia de Hogwarts, estava presente e bem ao seu estilo impunha a sua voz. Hagrid, o gigante de barbas dos livros de J. K . Rowling, autora que teve inspiração do espaço da Lello para criar a realidade fictícia de Hogwarts. E até apareceu ainda uma coruja, real.

Já no interior, surgiram as bebidas. Não passavam de refrescos com sabores de frutos mas tinham os nomes à medida do imaginário da saga, como Lion"s Courage, Serpent"s Ambition ou Dementor"s Antidote. E havia os aperitivos, também com nomes apropriados, tudo para ser saboreado enquanto Snape testava já os conhecimentos dos potters. Os jogos típicos de Hogwarts foram testados, com os telemóveis sempre em ação para filmar ou fotografar.

Quatro amigas, todas da Póvoa de Varzim, escolheram ficar na ponta de uma das duas compridas mesas. Rita, 32 anos, é a mais velha, é atriz e divertiu-se com a irmã Shayenne, 19, e as amigas Rita, 19, e Frederica, 20, todas estudantes. "Cresci com os livros. Fui uma das que acompanhou o drama de esperar que eles saíssem", confessa Rita que é uma verdadeira fã - até tatuou no braço esquerdo uma figura alusiva aos livros. "Gosto muito de fantasia. No Harry Potter, fala-se muito de amizade e isso também apaixona." Frederica acrescenta que "há um enredo muito forte".

A ideia de participar no jantar nasceu de serem todas fãs com o aniversário de Frederica, em novembro, a ser um motivo suplementar. "Decidimos comprar as entradas, e oferecemos o bilhete à Frederica como prenda", explicou a Rita mais nova. O grupo, trajado a rigor com vestuário de personagens da saga, estava pela primeira vez numa recriação do universo de Hogwarts e gostou do convívio. Contam que já leram os livros "várias vezes". Shayenne não tem dúvidas: "Os livros são muito melhores que os filmes. Sempre."

Com roupa e os óculos muito iguais aos de Harry, José Maria, 10 anos, fez uma viagem mais longa para estar no jantar. Chegou com a mãe, Raquel Eça, da zona de Lisboa. "Tenho todos os livros que consegui encontrar do Harry Potter. São nove, os sete da coleção mais o Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los e a peça de teatro", respondeu de imediato, mas ainda preocupado se a mãe iria registar o momento da conversa em fotografia para os companheiros de escola do 5º ano acreditarem que ele deu uma entrevista sobre o Harry Potter. Já mais sossegado, contou que leu "o primeiro livro há dois anos". Foi instantâneo. "Gostei logo do primeiro. A minha mãe já tinha lido e foi ela que me levou a ler. São todos bons. E também já vi quase todos os filmes", disse José Maria.

Na outra mesa de Hogwarts, estava Eduarda, oito anos, com a mãe Claúdia, ambas fãs. O irmão, mais velho, e o pai não alinharam. "O meu irmão tem medo. Eu não, gosto muito da magia do Harry Potter", conta Eduarda, trajada como Hermione. Mas o Harry de Eduarda é muito visual. Só a mãe leu os livros. "Só gosto dos filmes, não gosto de ler." Viajaram de Peso da Régua por acompanharem sempre que podem iniciativas relacionadas com a saga. Ao lado, mais um grupo de três miúdos, com as mães. São de Gaia e Matosinhos. Constança, Inês e Beatriz, com idades entre os oito e 11 anos, foram quem arrastou as mães. "Elas chegaram a casa a dizer que ia haver o jantar. Mas temos de agradecer ao avô que conseguiu chegar a tempo à Lello para comprar os últimos cinco bilhetes disponíveis", contou Mónica.

Cada um dos participantes pagou 40 euros para ir jantar a Hogwarts. A procura foi enorme e a 7 de novembro, quando foram postos à venda, o site da livraria crashou. Esgotaram de imediato.

Duas das entradas foram para as norueguesas Hanne, 23 anos, e Astri, 25. Estão no Porto por via do Erasmus na Faculdade de Economia. "Foi através da página de facebook de uma colega de faculdade, fã da saga também, que soubemos. Conseguimos os bilhetes e até compramos roupa de propósito. Nunca tínhamos estado em nada parecido. Muito bom", disse Hanne. As duas vão regressar em breve a Oslo. "Já lemos os livros todos e mais que uma vez. Tanto em norueguês como em inglês", assegurou Astri.

Para a Livraria Lello, que teve a ajuda na produção da Bairro dos Livros, esta foi uma forma de compensar os fãs. Em 2016, mais de 20 mil congestionaram a Lello no lançamento do último livro e muitos ficaram à porta. "Temos sempre duas ou três iniciativas ao longo do ano relacionadas com Harry Potter", explica Sónia Araújo, diretora de marketing da Lello, livraria onde as obras de J. K. Rowling são vendidas em português, inglês e espanhol. "Temos visitas de muitos grupos de fãs de Espanha. Muitas vezes é tida como a livraria do Harry Potter", admite. Minês Castanheira, da Bairro dos Livros, diz que a produção do jantar "é uma retribuição aos fãs pelo carinho que sempre têm dado ao Harry Potter e à Lello", tendo em conta que se assinala os 20 anos desde o lançamento do primeiro livro da saga. Organizadores e fãs acabaram a noite satisfeitos: todos gostaram.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG