Mais de 130 imãs recusam participar no funeral dos atacantes de Londres

Os líderes religiosos condenam o atentado "nos mais fortes termos" e dizem que os atos dos terroristas são indefensáveis e repugnantes

Mais de 130 imãs recusaram participar nos funerais dos autores do atentado de sábado em Londres. Os líderes religiosos muçulmanos argumentam que os atacantes agiram de forma indefensável e que a sua dor pelas vítimas e pelas suas famílias os obriga a rejeitar a obrigação de ler as tradicionais preces muçulmanas no funeral dos terroristas, avança o jornal The Guardian.

Num comunicado divulgado pelo Muslim Council of Britain (MCB), os líderes religiosos pedem ainda a outros para fazerem o mesmo. "Não vamos realizar a tradicional oração islâmica no funeral dos autores do atentado e instamos os outros imãs e autoridades religiosas a retirarem-lhes esse privilégio. Isto porque as ações indefensáveis são completamente contra os ensinamentos elevados do Islão."

Os líderes religiosos condenam o atentado "nos mais fortes termos" e dizem que os atos dos terroristas são indefensáveis e repugnantes, além de completamente contrários aos princípios do Islão, visando "dividir a nossa sociedade e instilar medo".

O comunicado é assinado por 139 líderes religiosos muçulmanos.

O atentado de sábado em Londres fez sete mortos e mais de 40 feridos. Os três terroristas, que foram mortos pelas autoridades no local, já foram identificados. A polícia britânica revelou ontem a identidade de dois deles Khuram Butt, de 27 anos, e Rachid Redouane, de 30 anos.

Khuram Butt já tinha sido investigado pela polícia e tinha sido expulso ou proibido de entrar em várias mesquitas, depois de expressar visões extremistas e interromper os imãs locais.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub