55 locais património mundial estão em perigo

A cidade arqueológica de Samarra, no Iraque, está em perigo

A inscrição de um local na lista do património em perigo permite mobilizar o apoio da comunidade internacional em defesa da sua proteção

Cinquenta e cinco locais, de um total 1.052 em todo o mundo, estão atualmente na lista do património mundial "em perigo" da Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Na 40.ª sessão, em julho passado na Turquia, a Comissão do Património Mundial classificou como "em perigo" locais no Mali, Uzebequistão, Líbia e Micronésia.

No Mali, onde já se consideravam em perigo, desde 2012, o Túmulo dos Askia e a cidade de Tombuctu, foi adicionada a cidades antiga de Djenné.

O centro histórico de Shakhrisyabz, no Uzebequistão, também integra essa lista, bem como a cidade de Nan Madol, nos Estados Federados da Micronésia, no Pacífico. Na Líbia foram adicionados cinco locais, tendo em conta os danos sofridos e que ainda podem acontecer devido ao conflito: as cidades arqueológicas de Léptis Magna, Sabrata, Cirene, a cidade antiga de Gadamés e o maçiço riochoso de Tadrart Acacus.

A inscrição de um local na lista do património em perigo permite mobilizar o apoio da comunidade internacional em defesa da sua proteção.

Os conflitos armados e a guerra, sismos e outras catástrofes naturais constituem as principais ameaças para os locais considerados património mundial. A estes, acrescentam-se a poluição, caça furtiva, urbanização selvagem e desenvolvimento descontrolado do turismo.

De acordo com a UNESCO, os locais em risco podem estar em situação de "perigo certo", quando existem ameaças iminentes específicas e estabelecidas, ou de "perigo potencial", quando estão perante com ameaças que podem ter efeitos prejudiciais.

A inscrição de um local na lista do património mundial em perigo permite à Comissão afetar imediatamente assistência no âmbito do Fundo do Património Mundial, alerta a comunidade internacional, que se pode mobilizar para salvar o sítio, e permite aos especialistas de conservação responder eficazmente a necessidades específicas.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular