Programa coloca aldeias no mapa como Maravilhas de Portugal

Iniciativa conta de novo com parceria da RTP e pretende "puxar pelo potencial do interior do país", frisa o ministro adjunto

Depois dos monumentos, da natureza, da gastronomia, das praias e das construções portuguesas edificadas além-fronteiras, a iniciativa 7 Maravilhas de Portugal regressa este ano com o foco nas aldeias do nosso país. A RTP volta a ser a televisão oficial do projeto, tendo já marcadas sete galas em direto, aos domingos à noite, entre 9 de julho e 20 de agosto - nas quais as 49 aldeias pré-finalistas a concurso, reveladas em abril, passarão a 14 -, um best of e uma final a 3 de setembro. As vencedoras são apuradas através do voto telefónico, em sete categorias: Aldeias com História, Aldeias de Mar, Aldeias Ribeirinhas, Aldeias Rurais, Aldeias Remotas, Aldeias Autênticas e Aldeias em Áreas Protegidas.

O lançamento desta nova iniciativa no âmbito das 7 Maravilhas de Portugal decorreu esta terça-feira na Aldeia Histórica do Piódão, candidata em cinco das sete categorias, concelho de Arganil, numa conferência de imprensa presidida por Eduardo Cabrita, ministro adjunto. "Este projeto insere-se na missão do governo de puxar militantemente pelo potencial do interior do país, no quadro daquilo que é uma prioridade, que é a valorização do território. Queremos olhar para estes espaços [aldeias], não de forma fatalista ou melancólica, de paisagens lindas às quais vamos recarregar baterias, mas como espaços de futuro, de oportunidade, de iniciativa, de ideias", adiantou Cabrita no evento, onde esteve também Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo. "Este programa é um instrumento decisivo para a dinamização turística dos destinos menos conhecidos e para a promoção do turismo sustentável", frisou Godinho.

Luís Segadães, presidente das 7 Maravilhas, faz um balanço positivo da iniciativa em parceria com a RTP. "A força dos nossos projetos reside na capacidade de divulgação e produção para um público generalizado, que nos acompanha cá dentro e lá fora. Este fenómeno de comunicação acontece graças à RTP, ao envolvimento que tanto a informação como a programação têm dado ao projeto. A RTP é um parceiro essencial no sucesso da marca", explica.

Já o diretor de programas da estação pública, Daniel Deusdado, frisou que colocar as galas das 7 Maravilhas em direto aos domingos à noite "permite promover o país fantástico que temos junto de milhões de telespectadores em todo o mundo".

Catarina Furtado e José Carlos Malato também são repetentes, voltando a ser os rostos da estação associados à iniciativa, e apresentadores das galas. "Tenho aprendido muito sobre nós, portugueses, ao estar neste projeto. Sobre a nossa história e o que queremos em relação ao nosso futuro. Isso faz de mim uma pessoa muito mais rica", confessa ao DN Catarina Furtado.

Sobre o foco do evento nas aldeias, Malato adianta: "Como dizia Pedro Homem de Melo, "é preciso subir ao povo". É justamente isto que se faz nesta edição: subir às pessoas, mas às pessoas reais, às que são vítimas de isolamento (...) e, de alguma maneira, preservar a sua identidade e integridade."

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular