Vinhos brancos e rosés são a aposta para o verão em Palmela

Com uma vista privilegiada sobre o rio Sado e a serra da Arrábida, a Sociedade Vinícola de Palmela apresentou os seus novos vinhos, ideais para o verão. Brancos, rosés, um espumante e um vinho tinto especial são as novidades da Península de Setúbal.

"Este é um momento descontraído para provar vinhos descontraídos". Foi assim que o enólogo Filipe Cardoso resumiu a apresentação da nova colheita de vinhos da Sociedade Vinícola de Palmela. Numa tarde marcada pelo calor, o rio Sado foi palco deste evento que, para além de ir em busca de golfinhos, com vista para a serra da Arrábida, mostrou que os vinhos brancos e rosés são a tendência deste verão.

Entre os cinco novos vinhos em destaque - Terras do Sado Rosé, Branco e Sauvignon Blanc, o espumante Ameias e o tinto Primeur Trois - durante o passeio Vasco Guerreiro, CEO da Sociedade Vinícola de Palmela, contou ao DN o porquê desta nova aposta, depois de um rebranding de toda a marca de vinhos. "Na Sociedade Vinícola de Palmela gostamos de fazer vinhos que sejam extraordinários representantes da região onde estamos inseridos. Não tentamos ir em modas. Tentamos, sim, fazer vinhos que os nossos clientes gostem, mas que acima de tudo traduzam o que é a nossa região".

Assim, com destaque para a região e uma vez que a Terras do Sado é a marca mais vendida, "fazia todo o sentido apresentar as nossas novas colheitas de brancos bem como o nosso vinho rosé neste local, que é o estuário do Sado, junto da serra da Arrábida e dos golfinhos que fazem parte do nosso rótulo", explica.

Segundo Vasco Guerreiro, "os brancos e os rosés são a aposta para este verão". Logo, o Terras do Sado Rosé, Branco e o Sauvignon Blanc são naturalmente "muito frescos, com bastante acidez e elegância, tendo neste momento uma distribuição muito importante em Portugal".

Mas nem só de brancos e rosés se faz este verão. A Sociedade Vinícola de Palmela deixa ainda como sugestão o espumante Ameias e o tinto Primeur Trois.

"O espumante é já uma aposta muito antiga da Sociedade Vinícola de Palmela, fomos provavelmente dos primeiros produtores da região a produzir um espumante pelo método champanhês - o método clássico e tradicional. O nosso espumante é feito da casta castelão, uma casta tinta, daí ter uma cor rosada. É um espumante clássico, feito sem qualquer adição de açúcares. É bom para quem gosta de espumantes e champanhe e é um bom acompanhamento para as nossas ostras do Sado", revelou Filipe Cardoso.

Já o tinto é uma criação do trio José Caninhas, Filipe Cardoso, da Quinta do Piloto, e Luís Simões, da Casa Horácio Simões. "Este é um vinho tinto fresco e elegante de verão. É um vinho diferente que nós lançamos como experiência. É o Primeur Trois - o primeiro dos três", acrescentou Filipe.

Para o futuro, aumentar a exportação de vinhos é o objetivo principal da SVP. "Temos um plano de investimento bastante ambicioso. Começámos com melhorias em termos de equipamento, instalações e até na própria adega, mas este é o ano decisivo em termos de comunicação. Fizemos também o rebranding de todas as nossas marcas e voltámos ao nome inicial da associação. Agora, temos um projeto muito ambicioso em termos de exportação e queremos chegar em 2024 a 50% das nossas vendas nos mercados externos. Para atingir esses objetivos, reforçámos muito a nossa equipa comercial", reconheceu Vasco.

ines.dias@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG