Uma coluna de prateleira pensada para estar na... prateleira

Novo produto da Bang & Olufsen destaca-se pela inovação no design, prometendo uma capacidade sonora superior ao pequeno tamanho. Mais uma aposta bem interessante num segmento que cada vez tem mais opções de qualidade. Apresentamos algumas.

Até há poucos anos, no áudio de qualidade, havia duas regras de ouro: não confiar em colunas amplificadas sem fios -- ou seja, modelos que incluíssem a sua própria alimentação elétrica e tivessem montes de circuitos no interior -- e nunca, mas mesmo nunca, posicionar numa prateleira as chamadas "colunas de prateleira". Estas deveriam sempre ir para suportes próprios, de preferência bem cheios de areia ou limalha de ferro, por exemplo.

Se o primeiro caso foi totalmente desmentido há uns dois ou três anos pelas fantásticas colunas sem fios KEF LSX (vale a pena ler a crítica completa na Stereophile), que por uns mil euros (maquimsom.pt) lhe resolve com alta qualidade e de forma compacta o som estéreo de uma divisão, o segundo paradigma foi-se mantendo inalterado.

Mais ou menos até agora. A Bang & Olufsen (B&O), marca dinamarquesa de eletrónica de consumo que sempre se distinguiu pela originalidade e elegância dos seus modelos, lançou na semana passada um modelo que quase pede para ser colocado ao pé de livros.

A Beosound Emerge é uma coluna ultrafina wi-fi que, apesar do tamanho reduzido promete projetar um "som ultra-amplo", segundo Christoffer Poulsen, vice-presidente e manager de produto da B&O. A própria marca recomenda que seja utilizada em divisões da casa até 30 metros quadrados.

Foi criada em colaboração com Benjamin Hubert da agência de design experimental LAYER. Na caixa de 6,7 cm de largura x 25,5 cm de altura x 16,5 cm de profundidade estão instalados três altifalantes e igual número de amplificadores (classe D, como hoje em dia este tipo de equipamento praticamente exige). A resposta de frequências é dos 45 aos 22.000 Hz, o que à partida é muito louvável para um aparelho destas dimensões.

A Emerge custa entre 600 e 750 euros (no site da marca) consoante o acabamento -- preto ou dourado. Isto é o preço por coluna. Tal como acontece com muitas outras colunas do género (ou com a maioria das colunas Bluetooth, por exemplo), a Emerge pode funcionar como altifalante "stand alone" ou emparelhada com um modelo idêntico, em estéreo.

Apesar de a Emerge parecer estar mesmo a pedir ser colocada entre livros, por favor não o faça. A única forma de ela funcionar decentemente é ter espaço livre à volta. Coloque-a sobre uma prateleira, sim, mas deixe-a "respirar". Nesse aspeto, é como uma outra coluna de som qualquer.

Outras originalidades

A tecnologia do áudio digital e a atual capacidade de manufatura das caixas para os altifalantes, com recurso a novos materiais, tem permitido criar soluções acústicas que há 20 anos era impossível prever, quanto mais concretizar.

As já referidas KEF, até pelo preço relativamente em conta (para o que é habitual neste mercado), são uma opção de qualidade e com uma "pegada" reduzida -- têm sensivelmente a altura de um palmo. Mas não deixam de ser colunas "tradicionais". Vejamos alguns exemplos mais originais.

Comecemos pela Naim, que em 2019 reinventou... o cubo. Dito assim não parece lá muito original, de facto, mas o que interessa é o que a marca britânica de renome no áudio perfeccionista fez com a colocação dos sete altifalantes no interior da MU-SO QB 2nd Generation.

O resultado é uma coluna estéreo sem fios de altíssima qualidade, que é capaz de encher de música uma sala de grandes dimensões. Isto por uns 900 euros (joselopesmarques.com). Só não espere, obviamente, obter uma imagem sonora idêntica ao que é possível com duas colunas bem posicionadas, à esquerda e à direita....

Outra marca de enorme tradição no áudio é a Linn. Os seus gira-discos Sondek LP12 continuam, após quase 50 anos, a ser uma referência no segmento.

A empresa de Glasgow apostou também no áudio digital e um dos seus produtos é não apenas original pelo design (apesar de parecer um pouco um ambientador...) como muito especialmente pela enorme qualidade oferecida. A Series 3 é, muito provavelmente, em termos de qualidade sonora, a melhor coluna sem fios do mercado. Ponto final.

Mas isto tem um preço: cerca de 3.000 euros. E, claro, se quiser uma experiência estéreo completa pode comprar duas e emparelhá-las. O representante em Portugal é a MusicLink, cuja loja online é infelizmente muito incipiente.

Finalizemos com um OVNI. Pelo menos é o que parece, vista de frente, a Bowers & Wilkins (B&W) Formation Wedge. Custa "só" mil euros (maquimsom.pt) e o design é do género do "ama-se ou odeia-se". Mas esta coluna estéreo, colocada na sua sala à frente do seu lugar preferido é bem capaz de lhe dar música de uma forma sólida, competente e detalhada, como muito poucas.

Ainda que as KEF...

ricardo.s.ferreira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG