Três chefs. Três versões de cabidela. Um jantar a seis mãos no Fogo

Alexandre Silva convida Marlene Vieira e Rodrigo Castelo, dos restaurantes Zunzum Gastrobar, em Lisboa, e Ó Balcão, em Santarém, respetivamente, para reinterpretarem e homenagearem a cabidela.

Este é um daqueles pratos que divide opiniões. Há quem adore e há quem nem sequer se arrisque a provar. No jantar a seis mãos que o Fogo, em Lisboa, promove amanhã, três chefs vão desafiar os mais céticos com a apresentação de três versões diferentes desta iguaria minhota.

O chef Alexandre Silva convida Marlene Vieira e Rodrigo Castelo, dos restaurantes Zunzum Gastrobar, em Lisboa, e Ó Balcão, em Santarém, respetivamente, para reinterpretarem e homenagearem a cabidela. Assim, por 70 euros por pessoa, será possível experimentar Cabidela de Coelho da Avó Sofia (Alexandre Silva), Fraca de Coração em Cabidela (Rodrigo Castelo) e Cabidela de Pato Bravo (Marlene Vieira).

"A cabidela é um prato antigo, repleto de costume e tradição, e está constantemente a ser reinterpretado, com novas versões. É esse o convite: uma degustação de três cabidelas diferentes, que mantêm na essência o respeito, a portugalidade e a beleza característicos deste prato", diz Alexandre Silva, chef deste Fogo, na Av. Elias Garcia, e do Loco (com uma estrela Michelin).

Para Marlene Vieira, que se prepara para abrir um novo restaurante, o Marlene, esta será a oportunidade para antecipar a linha gastronómica que terá nesse novo espaço. Já Rodrigo Castelo irá manter a linha que segue no seu restaurante em Santarém: trabalhar produtos tradicionais e dar-lhes nova roupagem.

Como entrada, Alexandre Silva propõe FlatBread de Batata e Sarapatel, Rodrigo Castelo Moela de Peru Grelhada e Marlene Vieira uma surpreendente Kushiyaki (lampreia) com Molho Agridoce e Cebolinho. Como sobremesa, será servido o Manjar do Fogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG