Portugal mostra ao mundo o seu melhor petisco

O chef galego Manuel Sánchez Noya, do Restaurante Vintage Douro Lamego, representa o país no 5.º Concurso Mundial de Tapas, que acontece em Valladolid, Espanha

"Rabo de boi e alheira" é o petisco que vai representar Portugal esta quarta-feira no V Campeonato Mundial de Tapas de Valladolid. Será nesta cidade de Espanha que 14 estrelas Michelin e outros especialistas escolham qual é o melhor petisco do mundo. O autor da proposta portuguesa é Manuel Sánchez Noya, do Restaurante Vintage Douro Lamego, chef galego que chegou a Portugal fascinado pela sua gastronomia. Seriam apenas uns meses, já passaram 17 anos. "Moro na zona de Lamego e Vila Real, no Douro, e tentei fazer a tapa com produtos típicos da região", explica o chef ao DN.

Entre os ingredientes estão carne Maronesa DOP, alheira de Mirandela, queijo de ovelha de raça Churra, maçã de Armamar, figos trasmontanos e vinho do Porto.

"Escolhi esta tapa a pensar no mundial, para potenciar a região do Douro, Património Mundial da Unesco", afirma o chef. Todos os ingredientes foram escolhidos com mimo e alguns por uma boa causa. "A ovelha de raça Churra está em perigo de extinção, vamos ver se conseguimos dar a volta à situação a utilizar o seu queijo", sublinha Manuel Sánchez Noya. A maçã de Armamar "dá frescura à tapa e os figos secos ajudam a cortar a gordura do boi", acrescenta. E tudo sobre uma massa tenra um pouco picante, criação do chef.

"Vamos tentar comer tudo em dois bocados para poder encher a boca e dar potência aos nossos produtos". A carne, com redução de vinho do Porto, é aquecida no momento e o resto dos ingredientes servem-se frios.

Manuel Sánchez Noya foi o vencedor do primeiro Concurso Nacional de Tapas da Rede de Escolas do Turismo de Portugal, que se realizou a 29 de setembro. O chef galego acredita que tem possibilidades de ganhar neste evento internacional em que Portugal é o país convidado.

"Este concurso é bom para potenciar e divulgar os produtos portugueses. A nível internacional fala-se do bacalhau e pouco mais, mas temos outras coisas interessantes", sublinha.

Os 16 finalistas foram selecionados entre 38 candidaturas e os escolhidos vêm da Argentina, Panamá, Chile, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Equador, México, França, Dinamarca, Portugal, Irlanda, Índia, Japão, Emirados Árabes Unidos e Ucrânia. Portugal estará representado no júri com a presença do chef executivo Ricardo Costa, do restaurante The Yeatman, do Porto, que tem duas estrelas Michelin.

O embaixador de Portugal em Espanha, João Mira Gomes, participou na passada segunda-feira na inauguração do Concurso Nacional de Pinchos de Valladolid, de onde sai o representante espanhol para a prova internacional do próximo ano. Como lembrou, "a tapa tem cada vez mais importância na gastronomia portuguesa. Para Portugal a gastronomia é um ponto importante para fortalecer o turismo".

Maior presença

Este evento está a ser uma primeira experiência para Portugal que já pensa em ter uma maior presença no próximo ano. As escolas de turismo nacionais estão presentes com um stand onde se podem degustar queijos, azeites, doces, pasteis de nata... Em 2022, "vamos tentar que a presença portuguesa se traduza em presença de empresas gourmet nacionais", avança ao DN Maria de Lurdes Vale, diretora do Turismo de Portugal em Espanha.

"Portugal pode mostrar a sua gastronomia. As tapas do concurso vão estar presentes em muitos restaurantes de Valladolid e é uma forma de expandir os nossos produtos, fica para a história da cidade", sublinha a responsável. Além disso, "é um evento que atrai muita gente, fora de grandes cidades como Madrid ou Barcelona", acrescenta.

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG