Jogar, comprar arte, reunir com amigos... sem sair da TV

A nova linha de aparelhos do fabricante sul-coreano pretende afirmar-se plenamente como centro de entretenimento e de convívio para a casa e a família.

Qual o melhor argumento para comprar um novo televisor? O anterior avariou-se, provavelmente. Mas, tirando esse, a qualidade da imagem será a razão seguinte.

O problema é que, num universo de ultra altas definições (e ainda maiores), de contrastes cada vez mais elevados, etc, torna-se cada vez mais difícil aos fabricantes diferenciarem a sua oferta da concorrência. Isto independentemente de, muitas vezes, utilizarem tecnologias distintas nos seus aparelhos -- até com resultados que, quando postos lado a lado, produzem imagens visivelmente diferentes. Só que são subtilezas que o consumidor muitas vezes pretere em função de outras conveniências.

Isso mesmo se reflete na nova linha de televisores Neo QLED da Samsung, apresentada esta terça-feira na feira de tecnologia CES. Ainda que a marca afirme ter refinado a imagem destes seus aparelhos 4K e 8K com novas tecnologias de processamento de imagem a que chamou Shape Adaptive Light Control (supostamente consegue analisar os objetos no ecrã e define os níveis de luminosidade da área o necessário para melhorar o brilho) e Object Depth Enhancer (algo semelhante, mas para reforçar o contraste), o que mais se destaca são os novos serviços de software incluídos. E o telecomando...

Prontos para jogar... e sem consola

A Samsung introduz este ano um novo hub de jogos nos seus televisores -- alguns modelos da linha anterior poderão receber esta atualização de software também, mas não foram divulgados quais -- que permitirá aos utilizadores usufruir dos serviços de streaming de jogos sem precisarem de outro equipamento, como consola, por exemplo.

Numa primeira fase, o sistema é compatível com o Google Stadia, o Nvidia GeForce Now e o Utomik. Para jogar, além da subscrição de um destes serviços de jogos em streaming, ​​​​​bastará emparelhar com o televisor um comando.

Os novos televisores têm ainda a capacidade de fazer um refrescamento de ecrã (refresh rate) de 144Hz -- em modo variável --, um valor superior ao das consolas de última geração (PS5 e Xbox Series X) que se ficam pelos 120Hz, mas que é atingido pelas placas gráficas de topo dos PC.

Ver em família e com amigos... à distância

Na lógica de ser o centro de entretenimento da casa, os Samsung permitem aceder a praticamente todos os serviços de vídeo em streaming sem ser necessário qualquer equipamento adicional. Isto não é novidade. O que agora é lançado é uma funcionalidade que permitirá partilhar a experiência com quem não está na mesma casa.

A ideia é ligar o televisor a uma webcam (esta não incluída...) e fazer em simultâneo streaming para longe do que se passa na sala durante a sessão de visionamento. E assim se pode organizar uma grande festa.

Quer comprar arte? Ou algo mais exótico?

A Samsung chama a este novo serviço "uma inovadora plataforma que lhe permite escolher, comprar e exibir arte -- tudo no mesmo lugar".

O que a marca sul-coreana fez foi desenvolver um hub para criações "assinadas" com NFT -- os non-fungible tokens, "marcas d'água" que asseguram que aquela existência digital concreta é única e não copiável.

Assim, e havendo dinheiro, torna-se relativamente simples (e sem sair do sofá da sala) pesquisar obras de arte -- digitais -- originais para apresentar, depois, aos amigos quando eles forem lá a casa. Afinal, há que ter qualquer coisa em jeito de wallpaper no televisor e uma simples imagem do Bing, por muito bela que seja, não é suficiente...

O comando que se carrega com o wi-fi

Pior do que não saber onde está o comando do televisor (algures no meio das almofadas do sofá, obviamente...) é estar a carregar nos botões e nada acontecer porque de um momento para o outro as pilhas -- que nem nos lembramos que lá metemos há anos -- acabaram.

Com o telecomando destes televisores acabou este drama. O novo Eco Remote carrega-se sozinho com luz solar ou até com a radiação da wi-fi da casa. Ora que bela ideia!

Só não há solução para a coisa estar sempre no pior sítio possível quando é preciso mudar de canal...

MicroLED que cabe em casa. Já na carteira...

No topo da gama dos televisores da Samsung estão os aparelhos MicroLED, que utilizam milhões de LED com micrómetros para produzir a imagem. Conseguem uma definição superior às outras tecnologias, uma vez que é possível controlar com elevadíssima precisão e a todo o momento a luz e cor de cada uma destas lâmpadas.

Uma vez que na prática cada LED compõe, grosso modo, um píxel da imagem, até agora não era comercialmente realizável, por questões técnicas, televisores em tamanhos "domésticos". Mas na CES a Samsung anunciou que até ao final do ano irá lançar versões de 110, 101 e 89 polegadas com esta tecnologia. Pode é já começar a poupar para ter umas largas dezenas de milhares de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG