Dieter Morszeck investe 6,5 milhões de euros em wine hotel de luxo

Promover o modo de vida alentejano, proporcionando, em simultâneo serviços premium, como ter um avião Pilatus PC-12 à disposição dos clientes. Uma forma diferente, mas exclusiva, de promover o Alentejo em geral e a Vidigueira em particular.

Pode-se dizer que foi uma paixão à primeira vista. De um anúncio na internet à compra efetiva foi muito rápido. E com isto Dieter Morszeck criou um projeto na Vidigueira onde junta as suas duas paixões: o vinho e os aviões. Depois de trabalhar a vinha e de começar a produzir vinhos - Quinta do Paral - o executivo alemão avança agora com a segunda fase, composta por um boutique wine hotel e por um restaurante no meio da vinha. Isto depois de já ter feito uma ampliação na adega.

O projeto de enoturismo, projetado pelos arquitectos Saraiva & Associados, representa um investimento de cerca de 6,5 milhões de euros. A unidade irá ser construída nas imediações da Quinta do Paral - do outro lado da estrada, praticamente - e contará com 21 quartos e dois apartamentos. O empreendimento será feito maioritariamente com material da região e a arquitetura, a decoração, os serviços, tudo foi escolhido tendo em conta um objetivo muito específico de Dieter Morszeck: que os clientes tenham a mesma experiência que ele teve quando chegou e conheceu a Vidigueira e que, com isso, absorvam a "cultura e modo de viver alentejano".

Todo o projeto foi pensado para proporcionar momentos relaxantes. Exemplo disso são os jardins centrais, localizados entre os quartos e a vinha (e restaurante), com piscinas biológica e algumas ilhas, que dão privacidade aos clientes e permitem, por exemplo, refeições românticas e personalizadas.

O hotel está direcionado para um perfil de cliente de "algum" poder de compra. Para tal proporcionará alguns serviços não muito habituais. Como a disponibilização de um avião - um Pilatus PC-12- caso alguém, por exemplo, queira ir às compras a Sevilha ou fazer um passeio relâmpago ao Douro.

A ideia é envolver as pessoas, dando-lhes a conhecer a Quinta do Paral, os vinhos, mas também a gastronomia. E é aí que entra o restaurante. Localizado na vinha terá o chef José Júlio Vintém (Tombalobos) como chef consultor e terá uma carta que funcionará com base nos produtos de época. Para tal serão plantados uma horta e um pomar que servirão de "fornecedor" ao estabelecimento.

O hotel está previsto inaugurar no final do próximo ano e só a partir dessa data o enoturismo da Quinta do Paral arranca oficialmente. Para já só é possível visitar a adega e fazer provas, acompanhadas de queijos, enchidos e pão da região, com os preços a irem dos 25 aos 45 euros, consoante o número de vinhos provados.

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG