As portas abrem às 12:00 e fecham às 00:00. "O que é habitual é que as pessoas venham para almoçar e

viver

Chefs on fire. Fogo, comida e música. Este ano apenas em português

Após um interregno, o evento que harmoniza comida na grelha e música volta. É este fim de semana no Estoril.

Uma vaca inteira a assar durante 27 horas. Gonçalo Castel-Branco, criador e organizador do festival de comida e música Chefs on Fire, que acontece este fim de semana no Estoril, não hesita quando o assunto é o maior desafio da edição deste ano, a terceira (adiada de 2020 para este final de verão de 2021). "Tivemos de desenhar um roti que aguentasse uma vaca", explica.

O singular pedido veio de Rodrigo Castelo, que habitualmente está no restaurante Taberna Ó Balcão, um dos chefs que participa no evento e que, como todos, vai estar a cozinhar ao vivo os seus pratos - dois por cozinheiro, um deles obrigatoriamente vegetariano, conforme pedido pela organização. "É uma tendência e maior parte dos chefs nos restaurantes não lhes passa pela cabeça não ter um prato vegetariano", diz Gonçalo Castel-Branco ao DN.

"Damos muita liberdade aos chefs. gostamos de coisas muito visuais, grelhas que sejam boas peças, encorajamos os chefs a que nos ajudem. Este é também um espetáculo sensorial, visual, com muito cheiro e ótimo sabor", diz, explicando em traços gerais o que está por trás do festival Chefs on Fire, comida na brasa e música (este ano 100% em português, lembrando que os sectores da restauração e cultura têm sido dos mais afetados pela crise pandémica). "É para sorrir e relaxar", diz o mentor.

As portas abrem às 12:00 e fecham às 00:00. "O que é habitual é que as pessoas venham para almoçar e fiquem para jantar. É para intercalar a comida com a música", diz Gonçalo Castel-Branco.. O bilhete dá acesso a 10 comidas e 5 bebidas por dia (além da cerveja 1927, há um bar de vinhos Trinca Bolota).

Gonçalo Castel-Branco diz que este é um evento que já estava pensado para a pandemia mesmo antes de ela chegar. A ocupação - 1500 pessoas - sempre foi menor do que a capacidade de 4 mil do espaço Fiartil, garante o organizador. "Acreditamos que este conforto é muito importante", refere. "As minhas duas coisas preferidas do Chefs on Fire são ser um festival extremamente familiar, com uma zona para as crianças, e ser um festival de adultos, que tem muito conforto, assim que passo a porta tudo está incluído - sou mimado durante as 12 horas que estou lá dentro". À entrada, o bilhete é trocado por uma pulseira digital.

E uma vez lá dentro qual é o melhor conselho para os estreantes? "O que aconselho é deem uma volta de reconhecimento para ver os chefs e os pratos, deixem-se levar, estejam à vontade". E, assegura, pela forma como está desenhado o espaço, "de forma muito orgânica", os participantes não vão precisar de se preocupar com filas. "Tem mais pontos de recolha, mais bares, cada um com o seu produto, para podermos dispersar as pessoas", assegura. "Os menus também estão desenhados para evitar concentrações e a nossa experiência é cada vez melhor".

O que é novidade é que, por ser evento-bolha, todos os participantes têm de apresentar teste negativo. Pode ser um antigénio (validade de 48 horas) ou PCR (72 horas). E quem não o tiver pode fazer à porta, cortesia da organização.

Os pratos e a música

Sábado

Diogo Noronha (Foodriders)
Tacos Arabe de Pollo, salsa verde de aguacate, salsa taquera, hinojo, rábano y cilantro
Beringela na brasa, creme de caju fermentado, cebolinho e cracker de cacau e sementes de cânhamo

Gil Fernandes(Fortaleza do Guincho)
Mão de vaca do mar (barrigas de peixe)
Beringela, ameixa, trigo sarraceno

Hugo Candeias (The Artgate; Ofício)
Barriga de porco estilo mexicano (cochinita pibil)
Sandes de cogumelos na brasa

Marlene Vieira (Zunzum)
Polvo na brasa, chouriço, batata-doce e vegetais
Tiborna com legumes assados, requeijão de ovelha e ervas

Miguel Laffan (Hotel Torre de Palma)
Taco de sardinha, limão e curcuma
Taco de queijo fresco, limão e curcuma

Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão)
Minhota grelhada
Bimis e alho francês

Telmo Moutinho (Padaria da Esquina)
Pêssego grelhado, limão e açafrão
Brócolos e maracujá tostado

Miramar (14:00), The Legendary Tigerman (16:00), Noiserv (18:00), Benjamin (20:00) e Dino D"Santiago (22:00)

Domingo

Alexandre Silva (Loco, Fogo)
Cabrito estonado, couve e coentros
Taco de beterraba, algas e malagueta

António Galapito (Prado)
Leitões
Pleurotos, massa de pimentão e trigo sarraceno

Carlos Afonso (O Frade)
Hot dog de Atum, chicharron e maionese de alho negro
Gaspacho de legumes grelhados

Vítor Adão (Plano)
Truta de Boticas, batata kenebec e hortelã da ribeira
Brócolos fumados, batata-doce de Aljezur creme de lima, molho de gengibre e Togarashi

Luís Gaspar (Sala de Corte)
Minhota Maturada, puré de aipo assado e jus de cogumelos
Couve-flor na brasa, romesco de tomate e avelã com óleo de salsa.

Michele Marques (Gadanha)
Pernas de Borrego de churrasco Gaúcho
Sopa fria de vegetais e granita de ervas

Diogo Lopes (Cura)
Confit beterraba e lima, figos pingo de mel grelhados, creme e óleo de folha de figueira
Bolo de milho, milho assado com noisette, namelaka, crocante de milho e paprika fumada

Rita Redshoes (14:00), Samuel Úria (16:00), Manel Cruz (18:00), Cais do Sodré Funk Connection (20:00) e Clã (22:00).

O que é preciso saber?

Chefs on Fire
Fiartil
Av. Amaral, 2765-192 Estoril
18 e 19 de setembro, das 12:00 às 00:00
Como chegar: Comboio - Estação Estoril (caminhar durante 5 minutos); carro - saída A5 - Estoril/Alcoitão e estacionamento no Centro de Congressos do Estoril - Casino do Estoril.
Bilhetes à venda no Ticketline: 95 euros, 25 euros para crianças até 12 anos. 170 euros, dois dias.

lina.santos@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG