Álbum na garrafa: uma mistura de vinho e melodias

Os concertos da Rua das Pretas e o vinho Niepoort vão passar pelos coliseus de Lisboa e do Porto de janeiro a março com uma garrafa de vinho que nos dá música.

Quem nunca passou uma noite sentado no sofá de sua casa com um copo de vinho na mão e música a tocar de fundo? Uma colaboração entre a Casa Niepoort e a Rua das Pretas leva essa experiência para as salas de espetáculos.

O projeto musical Rua das Pretas - que começou com tertúlias musicais em casa do músico brasileiro Pierre Aderne, precisamente na sua casa, na Rua das Pretas, e que chegou a acontecer num palacete no Príncipe Real tal a adesão - regressa aos coliseus do Porto e de Lisboa numa nova série de concertos que arrancam dia 26 e se prolongam até março, numa experiência peculiar, em que será possível ter um copo de vinho na mão e sentir o sabor da música. O vinho - o Nat Cool Dão 2020, uma edição limitada para a Rua das Pretas - está incluído no preço dos bilhetes, bem como o copo. Uma garrafa Melchior (de 18 litros) irá circular pelo público para servir vinho.

É o regressar aos espetáculos que a Rua das Pretas deu durante três meses num Coliseu dos Recreios vazio, apenas para as câmaras da RTP, devido à pandemia. Agora haverá público, ainda que com lotação reduzida a mil lugares, para continuar com o ambiente intimista e garantir a segurança em tempos de covid-19.

Serão nove datas, mas "nenhuma noite será igual a outra", garante Pierre Aderne, que está à frente da Rua das Pretas. "A meio da música a gente pode parar e começar a tocar outra música diferente porque nos deu vontade de fazer aquilo", diz o músico brasileiro, filho de pai português. "Nas vezes que vim a Portugal, mesmo sendo brasileiro, a minha relação era muito mais com o vinho do que com a cerveja ou com a caipirinha", conta. O encontro com Dirk Niepoort, da produtora de vinhos Niepoort, em 2009, resultou em algo especial.

"Desde o nosso primeiro encontro, em 2009, que sinto afinidade artística com o Pierre Aderne, do ponto de vista criativo, já que pensamos da mesma forma em vários temas", afirma Dirk Niepoort. "A gente acabou por encontrar ali as energias e afinidades e levar o vinho para dentro da música de forma mais imediata. Surgiram as primeiras canções que escrevi para o Douro", conta Pierre. Depois, um levou o vinho e outro levou a música até Nova Iorque. Os dois passaram uma semana nos Estados Unidos rodeados de outros músicos, sendo o papel principal de Dirk cozinhar para eles e servir-lhes vinho. Entre o vinho, a comida e a música surgiu o Wine Album.

"Fazer o Wine Album fez todo o sentido em 2018, e agora servir o Nat Cool Dão nos concertos dos coliseus da Rua das Pretas faz exactamente o mesmo sentido", diz Dick Niepoort, para quem "a canção Nat Cool é a mais importante" do álbum e "foi um bocadinho a base de todo este projeto", que agora continua com Um Copo de Fado, Dois de Bossa Nova - Magnum Edition.

Unir várias artes

"Fazermos estes concertos e servirmos música engarrafada é uma forma diferenciadora de unir várias artes. Quando chegarmos às 5000 garrafas vendidas de Nat Cool Dão edição Rua das Pretas, atingiremos a marca do disco de ouro. Perdemos o formato CD, mas corremos o risco de ganhar o disco de ouro com esta música engarrafada", comenta Pierre Aderne.

O vinho Nat Cool Dão 2020, que vai embalar estes concertos, tem no rótulo um código QR, que dá acesso ao álbum digital, que vai ser lançado a 26, dia de concerto. O trabalho vai estar disponível nas garrafeiras nacionais por 10 euros. É uma garrafa de vinho para meter a tocar e que tem no rótulo uma xilogravura da autoria do artista plástico brasileiro Rubem Grilo.

Lá dentro, um vinho leve, de 12,5 º C, que mistura o sabor de frutos silvestres (amoras e groselhas) com notas balsâmicas (características da Tinta Pinheira), dando um toque ácido através da casta Baga. Um sabor "natural muito cool e vibrante, fresco e cheio de vida, muito aromático e expressivo, moderado no corpo e taninos apetitosos", diz a Niepoort.

Nove espetáculos

Coliseu do Porto: 26 de janeiro, 8 e 21 de fevereiro, 14 e 28 de março

Coliseu de Lisboa: 3, 15 e 28 de fevereiro e 21 de março

Os preços dos bilhetes do Concert + Wine (concerto + um copo de vinho) variam entre 25 e 35 euros. Há apenas 40 lugares na Arena Vip, local em que o público está sentado junto aos artistas.

Obrigatória a maiores de 12 anos a apresentação de certificado de vacinação ou recuperação ou um dos seguintes testes: PCR realizado nas 72 horas anteriores; antigénio verificado por entidade certificada e realizado 48 horas antes; autoteste realizado no local.

Notícia atualizada no dia 21 de janeiro de 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG