Exclusivo A Tricana e o rio

O português da cidade pensa em mar sempre que se fala de peixe, mas o peixe de rio pensa no português sempre que se fala de paraíso.

Convivem desde há muito num equilíbrio perfeito, biodiversidade e equilíbrio são o pressuposto, mais do que o objetivo. As três novas conservas da mítica Tricana são deliciosas e reforçam o compromisso sustentável sem o qual nada no planeta sobreviverá.

Conhecemos desde miúdos o universo das conservas, atum e sardinha talvez as mais frequentes, de abrir um pão e substituir a refeição por uma bela sanduíche. Nas nossas despensas, habituámo-nos a ter latinhas da nossa preferência em jeito de comida de reserva para dias em que se deu dispensa ao fogão ou simplesmente não apeteceu cozinhar. A opção da conserva é, no entanto, nutricionalmente muito válida, pois se a marca é de confiança os peixes utilizados foram tratados, processados e acondicionados com o maior cuidado. Historicamente, recebemos de braços bem abertos os pioneiros da indústria conserveira, que fugindo à míngua e crise nos seus recursos aquícolas se encantaram com o pescado que encontraram na nossa fabulosa linha de costa. Tavira, Setúbal, Murtosa, Matosinhos, Póvoa de Varzim e Açores foram centros de excelência que alcançaram, a par da cortiça, reputação mundial para Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG