Universitários portugueses criam aplicação de combate às fake news

É um protótipo, chama-se "TruCheck" e foi criada por três jovens estudantes do curso de Bioengenharia da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Pode ser usada no telemóvel para avaliar rapidamente se uma notícia é verdadeira ou falsa.

Desafiados pelo concurso internacional 'Devogame by Devoteam' a desenvolverem uma "solução que respondesse a uma crise global", três estudantes do curso de Bioengenharia da FEUP decidiram debruçar-se sobre o tema das 'Fake news'.

"Queríamos fazer a junção de várias vertentes, pensámos na política, alimentação e saúde e de que forma poderíamos juntar todos estes temas. Foi então que nos apercebemos que o problema das 'Fake news' relaciona todas estas vertentes", afirmou Leonor Sá.

Em declarações à agência Lusa, a jovem universitária explicou que a aplicação, designada 'TruCheck', surge também da necessidade de serem desenvolvidas soluções "que acompanhem o ritmo de propagação destas notícias".

"As 'Fake news' são um problema que cada dia cresce mais. Estamos a viver numa sociedade em que o ritmo de propagação de notícias é muito elevado e não estamos a conseguir acompanhar isso com soluções para percebermos até que ponto essas notícias são verídicas ou não", disse.

E acrescentou, "precisávamos de conseguir responder às necessidades do público e facilitar ao utilizador a receção dessa informação sem que fosse preciso aceder a outras plataformas".

Nesse sentido, a equipa, intitulada '405 Found', delineou, com base num estudo de mercado, aquela que poderá vir a ser uma aplicação de "combate" a notícias falsas e desinformação.

Segundo Leonor Sá, a 'TruCheck' poderá ser instalada diretamente no telemóvel dos utilizadores sob a forma de aplicação ou associada a diferentes marcas de operadores através de serviços de 'pop-up'.

"Por exemplo, estou a utilizar o Messenger e alguém me manda uma notícia, a 'TruCheck' o que faria era abrir um 'pop-up' para verificar o quão fiável é a notícia, através de uma verificação automática", exemplificou a jovem.

Assim, alicerçada numa base de dados de fontes de verificação e num sistema de algoritmos 'machine learning', a aplicação permitirá "fazer uma verificação automática do conteúdo divulgado nas redes sociais ou outras plataformas".

À Lusa, Leonor Sá avançou que apesar da solução ainda não ter sido desenvolvida e estar em "'stand-by'", os jovens têm agendada, para as próximas semanas, uma reunião com alguns representantes da empresa tecnológica Bold by Devoteam, em Lisboa.

"Neste momento, ainda não sabemos ao certo como se vai desenvolver, mas temos muito interesse em conseguir avançar com o projeto, porque mesmo os júris da competição perceberam que havia potencial na nossa aplicação", concluiu.

A solução apresentada venceu a quarta edição da competição internacional 'Devogame by Devoteam', um concurso que premeia as soluções tecnológicas mais inovadoras, criadas por estudantes universitários, para fazer face a crises globais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG