Universidade Técnica de Eindhoven só contrata mulheres

Uma das mais prestigiadas escolas europeias de tecnologia, a universidade holandesa anunciou que nos próximos 18 meses só vai contratar mulheres, como forma de contrariar o excessivo peso masculino no seu corpo docente.

Trata-se de equilibrar a proporção entre homens e mulheres no corpo docente e restantes serviços da universidade, explicou o reitor da prestigiada universidade técnica, Frank Baaijens. Para atingir o número idêntico de homens e mulheres ali a trabalhar, a universidade só contratará mulheres durante, pelo menos, os próximos 18 meses.

De acordo com a nova política anunciada, a universidade só contratará homens no próximo ano e meio se não se apresentar nenhuma candidata que preencha os requisitos exigidos para o lugar.

A universidade espera abrir 150 novos postos de trabalho durante os próximos anos e chegar nesse prazo pelo menos a percentagem de 35% de mulheres no seu corpo docente.

"Atribuímos grande importância à igualdade de oportunidades para homens e mulheres, sabe-se há muito que uma equipa de trabalho mais diversificada tem um melhor desempenho, com estratégias melhores e ideias mais criativas que conduzem mais depressa à inovação", afirmou Frank Baaijens, citado no diário britânico The Guardian .

"Sabemos que existe um preconceito de género implícito e estamos a aproveitar o facto de termos plano para aumentar o nosso corpo docente nos próximos anos para corrigir esse desequilíbrio", afirmou o responsável.

As novas diretrizes de contratação naquela universidade entram em vigor já no próximo dia 1 de julho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG