Subida do nível do mar coloca em perigo património cultural e da humanidade no Mediterrâneo

Estudo da revista científica Nature Communications revela que uma das cidades em risco é Veneza

Um estudo publicado esta terça-feira na revista científica Nature Communications revela que várias localidades costeiras do Mediterrâneo, classificadas como património cultural e da humanidade estão em perigo devido à subida do nível do mar devido ao aquecimento global.

Segundo esta investigação, a combinação da subida do nível do mar com eventos meteorológicos extremos poderá provocar um aumento de fenómenos de erosão e inundações na zona costeira. O estudo analisou 49 lugares potencialmente afetados, tendo concluído que 47 correm mesmo riscos, pelo que apelam a que os governos adotem medidas para garantir a proteção de cada uma das regiões classificadas.

Segundo Lena Reimann, investigadora da Universidade de Kiel na Alemanha e uma das autoras deste estudo, considera que já há locais a sofrer os efeitos dessas alterações climáticas. A cidade italiana de Veneza é um dos locais que já está a atingida, pois tem sido sujeita a inundações parciais de forma periódica, tendo até construído um sistema de barreiras nos últimos quinze anos para reduzir o impacto das marés altas.

"A ameaça principal será representada pelas inundações costeiras. Vamos assistir a níveis do mar mais extremos, com edifícios, igrejas, templos e estátuas claramente ameaçadas. A erosão costeira avança mais lentamente, mas poderá afetar determinadas estruturas, assim como as características de paisagens culturais como o Delta do Pó, em Itália", sublinhou Lena Reimann.

Segundo este estudo, o cenário crítico da subida do nível do mar e de fenómenos meteorológicos está previsto para 2100, depois de comparada a situação registada no ano 2000 e a evolução que se registou, sendo que foi a partir daí que os investigadores fizeram as projeções para um século. E é nesse sentido que as previsões apontam para a subida do nível do mar em 1,46 metros para os próximos 100 anos.

Se tal se verificar, poderá registar-se um aumento da 50% das inundações na região mediterrânica e de 13% o fenómeno da erosão costeira. "Em relação ao risco de inundações, algumas das condições mais extremas podem encontrar-se na parte norte do mar Adriático, onde estão situados muitos sítios declarados património da humanidade. Esta zona inclui Veneza e a sua lagoa, Ferrara e o Delta do Pó, bem como a catedral de São Jacob, em Sibenik, na Croácia", acrescentou Lena Reimann.

Enquanto isso, as zonas mais críticas em relação aos fenómenos de erosão colocam em risco as chamadas joias arqueológicas de Tiro (Líbano), Tarragona (Espanha) e Éfeso (Turquia). Por outro lado, os países que estão mais ameaçados pela subida do nível do mar são Itália, Croácia, Grécia e Tunísia

Exclusivos