Químicos dos protetores solares entram no sangue? Um estudo limitado diz que sim

Especialistas continuam a desaconselhar as pessoas a deixaram de lado os protetores solares, por os riscos associados aos raios ultravioletas serem superiores.

O verão está a chegar e os avisos sobre os cuidados a ter com o sol multiplicam-se. O protetor solar é sempre um dos primeiros conselhos a relembrar. Mas um estudo publicado esta segunda-feira no Journal of The American Medical Association pela Food and Drug Administration (FDA), a agência norte-americana reguladora dos medicamentos, revela que as substâncias químicas que compõem este produto entram no nosso sistema sanguíneo no espaço de 24 horas.

A investigação baseou-se no teste de quatro protetores solares diferentes escolhidos aleatoriamente e aplicados em apenas 25 voluntários. Durante quatro dias, estes tiveram de colocar os cremes quatro vezes por dia em 75% do seu corpo. Seguiam-se análises ao sangue, que permitiram concluir que há ingredientes (avobenzona, oxibenzona, octocrylene, ecamsule) presentes nestas loções, cremes ou sprays que entram no sistema sanguíneo em doses acima das recomendadas.

No entanto há algumas limitações apontadas ao estudo, como o facto de este ter sido realizado num ambiente fechado, sem a presença de calor ou humidade - o que pode colocar em causa a taxa de absorção. E também não foram feitas avaliações depois dos produtos terem sido removidos pelo banho ou pelo suor.

Após a análise das conclusões, a agência reguladora dos medicamentos defendeu a continuação da investigação. E para já não aconselha a deixar de lado a utilização dos protetores solares. "Só porque os ingredientes são absorvidos não quer dizer que estes não sejam seguros. É por isso que estamos a pedir dados adicionais", disse Theresa Michele, diretora da divisão de medicamentos não prescritos da FDA.

Também a Academia Norte-Americana de Dermatologia segue a mesma tese, afirmando que os riscos associados aos raios ultravioletas são superiores aos dos ingredientes que compõem os protetores.

Em relação a Portugal, o oxybenzone - um dos ingredientes absorvidos em excesso - nem sequer é utilizado na produção de protetores solares.

Exclusivos