Professor de Harvard reafirma: uma nave extraterrestre já passou perto da Terra

Astrónomo Abraham Loeb garante que as críticas da comunidade científica não o intimidam e que não vai mudar de opinião: estamos a ser visitados por seres vindos de fora do sistema solar.

Uma nave espacial de origem alienígena, que está neste momento junto à órbita de Júpiter depois de ter passado nas proximidades da Terra, afirma Abraham Loeb, diretor do Departamento de Astronomia da Universidade de Harvard e professor há mais de 30 anos.

Entrevistado pelo Washington Post, o respeitado de autor de 700 trabalhos teóricos, explica que é muito provável que os extraterrestres já se tenham aproximado antes do nosso planeta: "A 19 de outubro de 2017, o telescópio Pan-STARRS, no Havai, registou um objeto estranho no céu. Movia-se tão depressa que só poderia vir de algum lugar fora do sistema solar", disse. O misterioso objeto foi descoberto em outubro de 2017 por Rob Weryk, do Instituto de Astronomia de Honolulu, no Havai. Foi batizado de Oumuamua, que em havaiano significa "mensageiro de muito longe que chega primeiro".

Inicialmente, o objeto de forma alongada, que se assemelha a um charuto, de cor avermelhada e com 400 metros de comprimento - 10 vezes mais que a sua largura - foi considerado um cometa, posteriormente um asteroide interestelar, e depois disso, Loeb e o seu colaborador, Shamuel Bialy, publicaram um artigo num jornal de astronomia em que afirmavam que o Oumuamua "é uma vela luminosa, flutuando no espaço interestelar como um escombro de um equipamento tecnológico avançado".

Segundo o astrónomo, o objeto move-se demasiado rápido para poder ser uma rocha e tem características completamente diferentes de um cometa ou de um asteroide, como a sua trajetória atípica ou o facto de não ter vestígios de desgaseificação quando se aproxima do Sol.

Loeb considera que é mesquinho pensar que "estamos sozinhos no universo" ou que "somos uma espécie transcendental no planeta Terra".

Apesar das provas que apresenta, Abraham Loeb não tem sido levado a sério pela comunidade científica. "Oumuamua não é uma nave alienígena e sugerir isso é um insulto à investigação científica honesta", afirmou o astrofísico Paul Sutter, reagindo à entrevista de Loeb.

Mas o professor de Harvard não parece estar preocupado com o que pensam dele: "Muita gente esperava que uma vez que houve esta publicidade toda eu voltaria atrás. Se alguém me mostrar provas do contrário, eu retrocederei (...) O pior que me pode acontecer é que dispensem das minhas tarefas administrativas, e isso até me daria mais tempo para me concentrar na ciência", disse ao Washington Post.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG