Palácio Centeno outra vez à venda. E dois milhões mais barato

Palacete do século XVII, junto ao Campo Santana, é propriedade da Universidade de Lisboa.

A Universidade de Lisboa pôs novamente à venda o Palácio Centeno, agora por um preço mínimo de 4,5 milhões de euros - dois milhões abaixo dos 6,5 pedidos o ano passado, num processo de venda que acabou por não se concretizar.

Situado na Alameda de Santo António dos Capuchos, junto ao hospital com o mesmo nome, o Palácio Centeno - também conhecido como Palácio das Açafatas - foi mandado construir em finais do século XVII ou inícios do século XVIII pela rainha D. Catarina de Bragança (1638-1705), no regresso desta a Portugal, depois da morte do marido, Carlos II, rei de Inglaterra.

O edifício era destinado às suas aias (ou açafatas) inglesas, fidalgas que a acompanharam no regresso a Portugal, e localiza-se nas proximidades do palácio que D. Catarina de Bragança destinou a si própria - o Palácio da Bemposta, mais conhecido pelos lisboetas como Paço da Rainha, na rua homónima da freguesia de Arroios. Ainda existem vestígios de um túnel que ligava os dois edifícios.

Em finais do século XIX, o edifício foi adquirido pela família Centeno (nada a ver com o atual ministro das Finanças), que promoveu uma significativa remodelação do palácio, a cargo do arquiteto italiano Nicola Bigaglia (o mesmo a quem também foi entregue a construção do Palácio Vale Flor, no alto de Santo Amaro, hoje monumento nacional). Bigaglia praticamente não mexeu na estrutura arquitetónica, mantendo a fachada a sua expressão seiscentista, mas pertencem-lhe boa parte dos elementos decorativos do interior do palácio, nomeadamente as pinturas dos tetos dos salões nobres.

O Palácio Centeno é também reconhecido pelo património azulejar, com exemplares datados do século XVIII.

Desde 1983 o palácio - que integra o conjunto Campo Mártires da Pátria, classificado como de interesse público - era sede da reitoria da Universidade Técnica de Lisboa, fundida com a Universidade de Lisboa em 2012.

De acordo com o caderno de encargos publicado no site da Universidade de Lisboa, a venda abrange o edifício de três pisos, com uma área de terreno de 1250 metros quadrados. As propostas de compra podem ser entregues até dezembro, com o referido preço base de licitação de 4,5 milhões de euros.

Exclusivos