Japão volta à caça de baleias após mais de 30 anos

A quota de captura até ao final deste ano está fixada em 227 baleias.

Baleeiros japoneses deixaram esta segunda-feira o porto de Kushiro, no norte do Japão, para recomeçar a pesca comercial de baleias, após mais de três décadas de interrupção.

A saída de cinco barcos da ilha de Hokkaido acontece seis meses após o governo nipónico ter anunciado que ia deixar a Comissão Baleeira Internacional (CBI), depois de ter levantado uma moratória em vigor sobre a pesca da baleia.

"Acreditamos que as baleias são recursos marinhos como peixes e que podem ser usadas com base em critérios científicos", disse um funcionário do Ministério da Agricultura, Florestas e Pescas.

A quota de captura até ao final deste ano está fixada em 227 baleias, menos do que as 333 que o Japão caçou na Antártida nos últimos anos, ao abrigo de um programa científico.

O arquipélago asiático junta-se assim à Islândia e Noruega, únicos países que praticam a caça de baleia para fins comerciais, e abre caminho a duras críticas da comunidade internacional e das organizações defensoras dos direitos dos animais.

O Japão compromete-se, no entanto, a não caçar "em águas antárticas ou no hemisfério sul", segundo o porta-voz do governo nipónico, Yoshihide Suga, num comunicado à imprensa divulgado em dezembro do ano passado, altura em que o país anunciou a saída da CBI.

A pesca será "limitada às águas territoriais e à zona económica exclusiva do Japão", acrescentou.

Exclusivos