Vem aí uma Lua Vermelha. Até 2100 não há outra igual

Sexta-feira. Dia 27. Quando a Lua nascer em Portugal já está em eclipse total. E vai poder vê-la em tom avermelhado a subir no céu durante 50 minutos. É o eclipse com maior duração deste século.

Em Faro, a lua vai nascer às 20.38, em Lisboa às 20.47, no Porto às 20.51 em Ponta Delgada às 20.52 e no Funchal às 21.05. Se estiver num destes sítios procure um local com um horizonte límpido, a nascente, leste, para poder ver a lua a subir no céu, durante 50 minutos. Este é o eclipse que os cientistas já identificaram como o maior deste século, com uma duração de uma hora e mais de 40 minutos. "Até 2100, não há outro igual", confirmou ao DN Rui Agostinho, diretor do Observatório Astronómico de Lisboa.

Mas este eclipse, que terá apenas mais um a dois minutos do que todos os outros ocorridos até agora e que ainda aí vêm, poderá ser visto em todo o território português e em outras zonas do mundo, como Austrália, Antártida, Ásia, África, Médio Oriente, Europa, América do Sul, sul do Oceano Pacífico, Oceano Índico e do Oceano Atlântico.

"Em Portugal vai ser possível ver logo assim que a lua nasce. O nosso País está naquela posição em que quando a lua nasce já está em eclipse total. Isto faz com que quem queria observar desde o início o eclipse procure um local com um horizonte límpido a leste para a ver aparecer em cima do horizonte, porque quem estiver numa zona em que no seu horizonte tenha prédios, uma colina, árvores, etc, não vai conseguir ver tudo na totalidade", explica o professor Rui Agostinho. Aliás, desta vez, o Observatório Astronómico de Lisboa não terá atividade pública precisamente porque "o nosso horizonte não é límpido. Temos árvores, o que não permitiria uma visualização completa", especifica.

A lua nasce a leste, mas um pouco virada a sul, e vai estar apenas a 15 graus de altura da terra. "Não vai subir muito alto. O máximo do eclipse será até às 21.22. São 50 minutos, por isso, é preciso reforçar esta ideia de que se deve procurar um horizonte desimpedido para se poder observar este eclipse da lua. Ela começa a sair da totalidade pelas 22.14", explica ainda o presidente do OAL.

No céu nesse dia, vai ter uma lua avermelhada, "o que é habitual num eclipse da lua", explicam-nos, mas pode começar por ter um tom amarelo-escuro que vai assumindo aos poucos um tom vermelho-alaranjado bastante vivo, ou mesmo cor de cobre. Aliás, até aos momentos finais do pôr do sol será possível observar uma infinidade de diferentes tonalidades do vermelho, um efeito que é provocado pela refração da luz nas diferentes camadas atmosféricas e que se prolonga no espaço.

Segundo explica Rui Agostinho, "as diferentes tonalidades que podem ser observadas num eclipse lunar podem demonstrar o estado de saturação da nossa atmosfera com poeiras provenientes de atividade vulcânica recente ou de fenómenos meteorológicos de grande dimensão. Quanto maior for a quantidade de poeiras existentes na atmosfera, mais escuro será o eclipse e a coloração da Lua."

Um eclipse total da Lua é um fenómeno astronómico que ocorre quando a Terra se encontra entre o Sol e a Lua, de forma a projetar a sua sombra na Lua, que atravessa completamente a sombra da Terra. Isto sucede quando a Lua, em fase de Lua cheia, passa nos seus nodos ou na sua proximidade.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?