Prova de Matemática da 2.ª fase negativa e com mais reprovações no ensino básico

Os resultados das provas do 9.º ano foram conhecidos esta segunda-feira. Matemática continua com média negativa e Português diminuiu face a 2018.

A média da prova final de Matemática do 9.º ano de escolaridade continua a ser negativa na 2ª fase, à semelhança de anos anteriores, apesar de ter aumentado de 21 para 29 (numa escala de 0 a 100). De acordo com os dados do Ministério da Educação, relativamente a 2018, houve mais reprovações à disciplina nesta fase, passando e 63% para 67%. A Português, por outro lado, a média diminuiu face ao ano transato, de 51 para 44, mas também as reprovações (de 42% para 34%).

Em ambas as disciplinas, houve menos inscritos do que em 2018. Enquanto este ano se registou um total de 4925 provas realizadas, no período homólogo o número situou-se nos 6676. Facto que pode ser justificado pelos resultados da primeira fase, uma vez que a segunda só se destina ao alunos que não foram aprovados na anterior.

Na primeira fase, cerca de 60% dos alunos do 9.º ano tiveram uma classificação igual ou superior 50% no exame de Matemática. Mas as notas desceram no exame de Português, de 66 para 60 pontos percentuais.

Os alunos concorrente à 2.ª fase das provas finais "são, naturalmente, os alunos que demonstraram maiores dificuldades ao longo do ano letivo" e, por isso, as médias são mais baixas do que na 1.ª fase

Das 2457 provas concretizadas de Português nesta segunda fase, 1426 registaram um resultado negativo. Nesta disciplina, apenas 48 alunos alcançaram um valor acima dos 70 pontos.

A Matemática, das 2 264 provas, houve 1884 negativas. Já 78 da totalidade ficou acima dos 70 pontos.

No comunicado enviado às redações, o Ministério lembra que os alunos concorrente à 2.ª fase das provas finais "são, naturalmente, os alunos que demonstraram maiores dificuldades ao longo do ano letivo" o que justifica os resultados "mais baixos relativamente aos resultados da 1.ª fase".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.