Por causa das greves, líder do STOP só recebeu 200 euros de salário em agosto

André Pestana teve desconto de 784, 35 euros no salário relativo ao mês de julho, devido aos dias que acumulou de greve às reuniões de avaliação

O presidente do recém-criado Sindicato de Todos os professores (STOP), André Pestana, só recebeu cerca de 200 euros líquidos no mês passado, tendo sofrido um desconto de 784,35 euros relativo ao exercício da greve.

O recibo de vencimento do sindicalista, professor no Agrupamento de Escolas de Agualva Mira-Sintra, foi divulgado pelo blogue "O Meu Quintal", de Paulo Guinote, o qual instou outros dirigentes sindicais a partilharem também a sua folha salarial.

Recorde-se que o S.T.O.P. começou mais cedo (logo no início de junho) a greve às reuniões de avaliação nas escolas, tendo também estendido a paralisação até mais tarde, no final do mês de julho.

Até ao momento não foi possível chegar à fala com André Pestana.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).