NASA apresenta Marte em vídeo 360º

A missão Curiosity gravou imagens de uma área identificada como Rock Hall e do piso da Cale Crater.

A agência espacial norte americana NASA divulgou este domingo imagens 360º do pico central da cratera marciana Gale - Vera Rubin Ridge. O vídeo foi captado pelo rover (veículo de exploração espacial) Curiosity.

Embora as imagens só estejam a ser divulgadas agora, foram captadas a 19 de dezembro do ano passado. E trata-se de uma montagem de várias fotografias de uma área identificada como Rock Hall e do próximo destino da Curiosity, o piso da Cale Crater, uma zona argilosa. Equipamentos do rover detetaram a presença de hematite, um mineral rico em ferro que existe apenas em locais onde geralmente há água.

"Nós já tivemos a nossa quota-parte de surpresas. E estamos a ficar com uma perspetiva diferente da que tínhamos da cordilheira", explicou o Abigail Fraeman, envolvido no projeto, citado pelo Daily Mail.

A missão Curiosity começou a 26 de novembro de 2011 na estação da Força Aérea Americana na Flórida. Na altura, estava planeada para durar apenas dois anos, mas já está ativa há mais de dois mil dias e continua no espaço graças ao sucesso das informações obtidas sobre o planeta Marte. Os seus principais objetivos são contribuir para estudos geológicos e geoquímicos, estudar a atmosfera, o clima e procurar indícios da presença de água.

No ano passado, a NASA divulgou uma imagem semelhante que mostrava o topo da Cordilheira Vera Rubin.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.