Há um iceberg perfeito à deriva na Antártida

O fenómeno é comum, mas o que fascinou os cientistas da NASA foi a forma retangular quase perfeita deste iceberg

Este não é um iceberg como os outros. Tem quatro arestas, quatro vértices, parece um retângulo quase perfeito e está à deriva no oceano Antártico. A imagem deste fenómeno foi partilhada através da conta oficial de Twitter da NASA, que lhe dá até um nome e uma explicação.

É difícil de imaginar que este iceberg não tem mão humana, mas de acordo com a cientista da NASA e da Universidade de Maryland, Kelly Brunt, este fenómeno é mais comum do que imaginamos. "Há dois tipos de icebergs", começa por explicar a especialista, em declarações à revista científica Live Science: "os que imaginamos na nossa cabeça, como o que afundou o Titanic, que parecem prismas ou triângulos na superfície, e depois os icebergs tabulares".

Estes últimos são planos, largos e geométricos. Quando uma plataforma de gelo cresce demasiado, quebra-se em baixo, separando-se em formas quase sempre geométricas. Kelly Brunt compara o processo a uma unha, que quando já muito longa começa a quebrar-se na ponta. Contudo, o que torna este iceberg fora do normal é o facto de parecer um retângulo perfeito.

Kelly Brunt acredita que terá mais de uma milha de comprimento e que será apenas 10% da massa total da plataforma do qual se separou, uma vez que a massa de maior comprimento se encontra debaixo de água.

Nada que seja novidade para os especialistas. O maior iceberg alguma vez registado foi também um iceberg tabular antártico, com mais de 31 mil quilómetros quadrados. O seu tamanho permitia que pudesse até ser visto a 240 quilómetros a oeste da Ilha Scott, no oceano Pacífico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG